Julho 02, 2020

Login to your account

Username *
Password *
Remember Me

Create an account

Fields marked with an asterisk (*) are required.
Name *
Username *
Password *
Verify password *
Email *
Verify email *
Captcha *
Reload Captcha
Image
Image

Financiamento bancário para projetos foi a linha de crédito mais utilizada em 2019

Em 2019, oito em cada dez empresas do setor de energia solar realizaram ao menos uma operação de venda com financiamento bancário, segundo levantamento realizado pela Greener. De acordo com a pesquisa, a taxa de juros mais baixa, a simplicidade e a flexibilidade na aprovação do crédito foram os principais fatores para alavancar o volume de financiamentos no setor.

Para Aldo Pereira Teixeira, presidente fundador da distribuidora Aldo, o pagamento de projetos por meio de financiamentos contribuiu para o crescimento do setor. “O financiamento solar ajudou o consumidor brasileiro a gerar a própria energia a partir do sol, retornar o excedente para a rede tradicional e obter compensação sobre este retorno na conta de luz”, afirmou Aldo.

Desde 2012, o mercado de energia solar no Brasil atingiu a marca de 2,030 GW de potência instalada por meio de 175 mil sistemas solares fotovoltaicos conectados à rede e mais de R$ 10 bilhões em investimentos acumulados. Além disso, o setor gerou aproximadamente 130 mil empregos nos últimos oito anos.

Aldo Teixeira afirma que este crescimento no setor poderá estagnar caso a proposta da ANEEL seja colocada em prática. “Caso a proposta de revisão da RN 482 seja aprovada nos modelos apresentados, surgirão questões que podem simplesmente inviabilizar o investimento em produção de energia solar. O retorno para quem investe em equipamentos, por exemplo, demoraria mais tempo que a própria vida útil dos aparelhos. A revisão acabaria representando a taxação do uso do sol”, ressalta o presidente da Aldo.

Atualmente, um projeto de lei que cria o marco legal está aguardando a sinalização do presidente Rodrigo Maia e deve ser votado em caráter de urgência, segundo o deputado Lafayette de Andrada (Republicanos-MG), autor da proposta.

Projeções da ABSOLAR apontam que 2020 será encerrado com aproximadamente 250 mil empregos criados desde 2012. Além disso, a associação estima que a geração distribuída terá investimentos de aproximadamente R$ 16,4 bilhões.


Publicidade:

Avalie este item
(0 votos)
Última modificação em Quinta, 13 Fevereiro 2020 14:07
© 2019-2020 Canal Solar | www.canalsolar.com.br