Dezembro 02, 2020

Login to your account

Username *
Password *
Remember Me

Create an account

Fields marked with an asterisk (*) are required.
Name *
Username *
Password *
Verify password *
Email *
Verify email *
Captcha *
Reload Captcha
Image
Image

Engenheiros desenvolvem táxi aquático movido a energia solar

Com o objetivo de criar mais formas ecológicas de mobilidade urbana, o estúdio de designers Duffy London, do Reino Unido, desenvolveu um projeto de táxi aquático feito de bambu movido a energia solar.

De acordo com Chris Duffy, fundador da empresa, a embarcação é feita a partir de técnicas artesanais e é capaz de levar até 15 pessoas. “A ideia era desenvolver uma embarcação de energia fotovoltaica que fosse extremamente prática, espaçosa e segura. Tudo isso usando um design moderno com componentes de fixação de corte a laser de última geração”, explicou Duffy.

“É uma alternativa ecológica aos barcos a gasolina e é capaz de aproveitar a energia ilimitada do sol para transportar, além de pessoas, cargas com segurança em vias navegáveis em ambientes marinhos. Um projeto de casco duplo moderno, simples e funcional, construído com materiais e processos locais, torna-o uma embarcação versátil e econômica que está pronta para produção imediata e para uso em hidrovias em todo o mundo”, acrescentou o engenheiro.

Apelidado de Hari Pontoon, o barco é quase todo feito de bambu e funciona com um único motor elétrico movido a energia solar. “Não há motivos para usar materiais caros e prejudiciais ao meio ambiente, quando temos um suprimento quase ilimitado e barato de bambu à nossa porta”, enfatizou e especialista.

Comercialização

Segundo Chris Duffy, o intuito é que essa embarcação se torne um sistema de produção em massa simplificado e ecológico, substituindo muitas embarcações movidas a gasolina de tamanho e uso semelhantes. 

“Assim poderíamos criar uma organização sem fins lucrativos para permitir que as embarcações fossem compradas a uma taxa de juros extremamente baixa, inferior ao custo mensal do combustível, para pagar o aumento”, explicou.

Avalie este item
(1 Votar)
Última modificação em Sexta, 23 Outubro 2020 17:15
Mateus Badra

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Experiência como produtor, repórter e apresentador em diferentes veículos de comunicação: mídia impressa, online e televisiva.

© 2019-2020 Canal Solar | www.canalsolar.com.br