DAH Solar apoia campanha nacional de incentivo ao mercado fotovoltaico

Iniciativa visa mostrar que a solar é um investimento acessível para todas as classes sociais
2 minuto(s) de leitura
28-07-23-canal-solar-28-07-23-canal-solar-DAH Solar apoia campanha nacional de incentivo ao mercado fotovoltaico
“Energia solar não é um investimento para rico”, diz Felipe Santos. Foto: Adriano Cabral

No dia 9 de julho, o Brasil conheceu a campanha nacional ENERGIA SOLAR. VALE MUITO A PENA!, que estreou no intervalo do programa Fantástico, transmitido pela rede Globo.

A iniciativa da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), com grandes players do setor, visa criar uma campanha publicitária para o público final, mostrando que a solar é um investimento com retorno garantido e acessível a todas as classes sociais.

De acordo com a DAH Solar, uma das principais apoiadoras da iniciativa, o mercado fotovoltaico no Brasil ainda é recente e precisa crescer, isso significa que é preciso contar aos brasileiros as vantagens da geração própria de energia.

“É uma alegria participar ativamente e patrocinarmos. É a primeira vez na história que é feito uma campanha de incentivo ao solar tão abrangente como a que estamos apoiando”, disse Débora Garcez, diretora de Marketing da DAH Solar na América Latina.

Segundo ela, o projeto é muito importante para ajudar a disseminar a fonte fotovoltaica no Brasil. “Estamos animados em fazer parte deste movimento histórico para o setor”.

“Além disso, apoiando esta campanha, nosso objetivo é dar suporte ao integrador, que é o elo mais importante desta cadeia. É fundamental muni-lo de argumentos e materiais que possam dar suporte e fortalecer os argumentos de suas vendas para o cliente final”, ressaltou Débora.

Felipe Santos, diretor comercial da DAH Solar na América Latina, destacou que as perspectivas de crescimento da energia solar são bastante favoráveis. “O Brasil é um país abençoado do ponto de vista solar. Os nossos menores índices de radiação são os maiores em alguns países europeus”.

“Nós temos uma baixa penetração de sistemas fotovoltaicos nas unidades residenciais. Portanto, há um vasto campo a ser trabalhado e disseminado pela energia fotovoltaica”, frisou.

Além da geração de emprego, Santos afirmou que a energia solar é especialmente democrática, pois permite que o usuário final produza sua própria energia e, ao contrário do que se fala, não é um investimento para rico.

Imagem de Mateus Badra
Mateus Badra
Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal