Doação de créditos excedentes pode ser revertido no enfrentamento à Covid-19

A conta de energia elétrica nos hospitais representa um custo fixo considerável, pois temos muitos equipamentos
3 minuto(s) de leitura

A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) está analisando a proposta da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica) que propõe que créditos excedentes da geração distribuída sejam doados para serviços essenciais, como hospitais, no enfrentamento do surto de Covid-19 nos próximos seis meses.

A proposta surgiu após o empreendedor Ricardo Rizzotto encaminhar mensagens em um grupo de WhatsApp de associados da ABSOLAR contando uma solicitação de um dos seus clientes.

“Meu cliente Jovandro Peretti me procurou perguntando se existia a possibilidade de doar seus créditos excedentes para o hospital da cidade de Paraí (RS). Ele tem o sistema há cinco anos e, neste período, acumulou em torno de 1300 Kw/h. Por isso, lancei no grupo de WhatsApp a ideia de expandir essa possibilidade para todo o país. A ABSOLAR comprou a ideia e encaminhou à ANEEL e ao Ministério de Minas e Energia”, relata Rizzotto.

Após o pedido da ABSOLAR à ANEEL, Rizotto conta que tem sido procurado por outros clientes que também querem doar seus créditos excedentes, criando uma corrente em prol dos hospitais neste momento crítico da saúde.

O empreendedor está otimista e confia que a Agência decidirá de forma favorável. “Acredito que a ANEEL não vai se negar a proposta porque as concessionárias não vão perder nada, já que de qualquer forma as pessoas iriam usar este crédito”, comenta Rizzotto.

Se aprovada, a medida será uma adequação das regras vigentes do Sistema de Compensação de Energia Elétrica, para que os usuários da geração distribuída, sejam de fonte solar fotovoltaica, eólica ou biomassa, possam doar de forma voluntária seus créditos excedentes para as instituições.

Segundo Marcelo Borghetti, diretor administrativo do Hospital Cristo Redentor, localizado em Marau (RS), a aprovação da proposta proporcionará maiores investimentos na área da saúde.

“A conta de energia elétrica nos hospitais representa um custo fixo considerável, pois temos muitos equipamentos que funcionam 24 horas, todos os dias. A diminuição dos custos com energia pode garantir maiores investimentos em equipamentos, manutenção e sobretudo na maior oferta de serviços. O impacto de uma redução na conta de energia do nosso hospital possibilitaria uma economia próxima de meio milhão de reais por ano”, afirma Borghetti.

Ainda de acordo com Borghetti, a economia gerada será revertida em serviços gratuitos à população. “Com uma economia de R$ 500 mil em gasto de energia, podemos realizar, por exemplo, mais de cem cirurgias eletivas neste período de forma gratuita”, exemplifica.

Para a advogada Bárbara Rubim, vice-presidente de geração distribuída da ABSOLAR, a aprovação só depende da ANEEL. “A implantação dessa medida não demandaria nenhuma adequação técnica por parte das distribuidoras ou das instituições beneficiadas. O que falta, realmente, é a permissão regulatória, que a ANEEL pode conceder em caráter excepcional”, esclarece.

Bárbara também destaca o objetivo da proposta. “Nossa intenção é contribuir com a redução dos impactos econômicos e sociais da pandemia, por meio de uma medida simples e solidária, que permite a redução dos impactos econômicos e sociais da pandemia”, afirma Bárbara.

Imagem de Ericka Araújo
Ericka Araújo
Head de jornalismo do Canal Solar. Apresentadora do Papo Solar. Desde 2020, acompanha o mercado fotovoltaico. Possui experiência em produção de podcast, programas de entrevistas e elaboração de matérias jornalísticas. Em 2019, recebeu o Prêmio Jornalista Tropical 2019 pela SBMT e o Prêmio FEAC de Jornalismo.

Uma resposta

  1. Amigos, sendo a reportagem de Maio de 2020, creio já existir resposta da ANAEL. Foi favorável? É possível doar excedentes de produção para hospitais e entidades filantrópicas? Muito obrigado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal