Empresas latino-americanas veem transição energética como oportunidade

Pesquisa revelou que o custo dos investimentos está entre as barreiras para adoção de soluções mais sustentáveis
Pesquisa revelou que o custo dos investimentos está entre as barreiras para adoção de soluções mais sustentáveis
Visão de custo por parte das empresas se dá pela falta de incentivos. Imagem: Pixabay

A Aggreko, uma das lideranças globais em soluções de energia, realizou uma pesquisa com 838 profissionais do setor elétrico em 13 países da América Latina, com o objetivo de compreender a abordagem das empresas em relação à transição energética.

Para 86% dos respondentes, a transição energética representa uma oportunidade ou uma possível oportunidade de negócio. Porém, um terço dos entrevistados classificou que os custos associados são a principal barreira para adoção de soluções mais sustentáveis de energia.

Essa percepção é compreensível, diz o estudo, considerando que os investimentos iniciais são consideráveis e o retorno financeiro só é percebido a longo prazo.

Segundo Hugo Dominguez, líder de Utilities de Infraestrutura para América Latina e Caribe na Aggreko, a visão de custo por parte das empresas se dá pela falta de incentivos, como por exemplo de um mercado de crédito de carbono regulado.

Sem uma contrapartida clara, a transição energética pode ser vista como um investimento sem retorno imediato. A regulamentação do mercado de carbono, com incentivos e mecanismos de compensação, pode mudar essa percepção e estimular a adoção de soluções mais sustentáveis”, disse.

Mesmo assim, para 54% dos respondentes a transição para fontes renováveis é uma prioridade ou está entre as três principais preocupações relacionadas ao negócio.

A pesquisa perguntou quais seriam os principais motivos pelos quais as empresas não estão fazendo a transição para fontes renováveis. As respostas mostram que as razões são diversas, mas “a falta de clareza legislativa e de subsídios representam um desafio significativo, indicando que as incertezas regulatórias impactam diretamente a decisão das empresas”.

Para 21% dos entrevistados, as empresas ainda não estão preparadas para as mudanças decorrentes da transição energética.

O estudo também questionou o que os entrevistados consideravam como o fator de maior relevância a ser trabalhado para aumentar a penetração das fontes renováveis: 35% consideram o investimento em infraestrutura como o fator mais relevante, seguido pela integração de soluções de armazenamento de energia (22%).

A pesquisa ainda revelou que tanto a energia solar quanto a eólica são consideradas como as tecnologias que desempenharam um papel crucial no processo de transição energética, assim como o hidrogênio e o BESS (Battery Energy Storage Systems).


Todo o conteúdo do Canal Solar é resguardado pela lei de direitos autorais, e fica expressamente proibida a reprodução parcial ou total deste site em qualquer meio. Caso tenha interesse em colaborar ou reutilizar parte do nosso material, solicitamos que entre em contato através do e-mail: [email protected].

Imagem de Wagner Freire
Wagner Freire
Wagner Freire é jornalista graduado pela FMU. Atuou como repórter no Jornal da Energia, Canal Energia e Agência Estado. Cobre o setor elétrico desde 2011. Possui experiência na cobertura de eventos, como leilões de energia, convenções, palestras, feiras, congressos e seminários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal