4 de março de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,9GW

Manifestação em prol da GD reúne centenas de profissionais do setor solar em Brasília

Empresários e associações do setor fotovoltaico reivindicam a votação do PL 5829, que visa a criação do Marco Legal da GD no Brasil

Autor: 8 de junho de 2021Brasil
3 minutos de leitura
Manifestação em prol da GD reúne centenas de profissionais do setor solar em Brasília

A mobilização em prol da votação do PL 5829 (Projeto de Lei n.º 5829/2019), que visa a criação do Marco Legal da GD (geração distribuída) no Brasil, está reunindo centenas de participantes, em Brasília (DF). O protesto foi organizado por profissionais, empresários, consumidores e entidades que representam o setor de energia solar.

Com os motes: “Brasil, diga sim à energia solar” e “Livre e bem distribuída”, o ato teve início com a concentração dos ônibus de diferentes estados no Hotel San Paul Plazo, por volta das 6h. De lá, os manifestantes seguiram em direção a Esplanada dos Ministérios, onde estão concentrados desde às 9h.

Com bandeiras, cartazes, balões e carros de som, eles cobram dos deputados federais maior agilidade na votação do PL 5829. No gramado, os participantes estenderam painéis solares no formato de uma cruz, com o intuito de simbolizar que uma não eventual votação do texto significaria o fim da energia solar no país.

Osmar Balestri é um dos empresários que marcou presença no ato. Ao Canal Solar, ele conta que a criação do Marco Legal da GD é fundamental para a continuidade do setor em que trabalha. “Nós do Paraná somos muito fortes no ramo de avicultura e sofremos com a alta do preço de energia cobrado pelas distribuidoras. Se o PL não for aprovado, a avicultura está fadada ao fracasso. Hoje, o produtor que produz cerca de 60 mil frangos paga por mês mais de R$ 7 mil só de energia”, disse ele.

A manifestação também conta com a participação de executivos de associações que representam o setor, como Ronaldo Koloszuk, presidente do Conselho de Administração da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica). “São milhares de empresas e pessoas que têm famílias e querem um Brasil melhor, com energia mais barata, limpa e com mais água nos reservatórios. É uma mobilização que pensa no futuro e que é contra o atraso do uso de termelétricas e do monopólio das distribuidoras”, explicou. 

A proposta, de autoria do deputado Silas Câmara (Republicanos-AM) e que tem como relator o parlamentar Lafayette de Andrada (Republicanos/MG), basicamente, estende a cobrança de encargos e tarifas de uso dos sistemas de transmissão e de distribuição aos micro e minigeradores de energia elétrica.

Bárbara Rubim, vice-presidente de Geração Distribuída da ABSOLAR. explica que setor solar defende o incentivo, alegando que a medida trará mais segurança jurídica e regulatória para o crescimento sustentável do setor elétrico brasileiro. “Esse é um momento muito simbólico para o setor. Mesmo no meio de uma pandemia e de uma crise econômica, temos centenas de empreendedores e consumidores que saíram de suas casas e empresas para estarem aqui em prol da aprovação do PL 5829. Isso só representa o anseio de uma sociedade que espera ser representada pelo Congresso com uma decisão favorável”, disse ela. 

Henrique Hein

Henrique Hein

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como repórter do Jornal Correio Popular e da Rádio Trianon. Acompanha o setor elétrico brasileiro pelo Canal Solar desde fevereiro de 2021, possuindo experiência na mediação de lives e na produção de reportagens e conteúdos audiovisuais.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.