27 de janeiro de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 4.63GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 8,82GW

Títulos verdes têm recorde de emissão em setembro, aponta BNEF

Segundo a BNEF, esse volume de recursos representa um aumento de 12% em comparação com o mesmo período de 2019

Autor: 9 de outubro de 2020outubro 28th, 2020Brasil
Títulos verdes têm recorde de emissão em setembro, aponta BNEF

A emissão de títulos verdes, iniciada em 2007, bateu a marca de US$ 1 trilhão, segundo levantamento da empresa de pesquisa BNEF (BloombergNEF).

Somente nos primeiros nove meses deste ano, mais de US$ 200 bilhões foram emitidos. Entre os principais projetos que captaram esses recursos – utilizados para financiar a realização de projetos e atividades ambientais – estão parques eólicos e gestão de águas residuais.

Segundo a BNEF, esse volume de recursos representa um aumento de 12% em comparação com o mesmo período de 2019. Juntos, as emissões de títulos verdes corporativos, governamentais, municipais e hipotecários em 2020 ficaram atrás dos volumes de 2019 até agosto.

No entanto, isso mudou em setembro, quando os títulos verdes tiveram mais de US$ 50 bilhões trazidos ao mercado.

“Durante grande parte deste ano, a emissão de títulos verdes ficou para trás com relação a 2019. Mas o mês abundante em setembro, com mais de US$ 50 bilhões emitidos, oferece esperança de um possível boom no último trimestre do ano”, disse Mallory Rutigliano, analista de finanças do BNEF.

Um dos maiores impulsionadores em setembro veio da Alemanha. O governo federal emitiu um título soberano de 6,5 bilhões de euros (US$ 7,7 bilhões) no início do mês, tornando-o o maior novo título verde único deste ano.

Da mesma forma, o governo sueco e a EDF (Électricité de France) ajudaram a impulsionar o mês, com mais de US$ 5 bilhões combinados.

A BNEF destacou ainda que os títulos verdes também impulsionaram o mercado de dívida sustentável mais amplo – que inclui títulos sociais, empréstimos vinculados à sustentabilidade, empréstimos verdes e outros.

De acordo com o relatório, nos primeiros nove meses de 2020, os títulos verdes representaram 47% da dívida sustentável emitida em todo o mundo.

“A integração de critérios ambientais, sociais e de governança nunca foi tão importante para os investidores do que em 2020. Já vimos isso refletido no mercado de dívida, e não é apenas provável que essas variedades de financiamento crescerão em volume nos próximos anos, mas veremos mais inovação. É provável que um impulsionador seja o aumento da pressão para padronizar as regras em torno dos títulos verdes, especialmente na Europa”, apontou Maia Godemer, associada de finanças sustentáveis ​​da BNEF.

Mateus Badra

Mateus Badra

Atuou como produtor, repórter e apresentador na Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro há mais de um ano, atuando nas editorias de Mercado e Tendências, Mobilidade Urbana, P&D e Equipamentos. Jornalista graduado pela PUC-Campinas.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.