27 de maio de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 5.02GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 10,7W

Tutorial SOLergo: saiba como fazer a modelagem 3D

Neste tutorial será mostrado como utilizar as novidades do layout 3D para o SOLergo 2022

Autor: 22 de abril de 2022Tutorial
Tutorial SOLergo: saiba como fazer a modelagem 3D

Utilização da ferramenta de Layout 3D do SOLergo

No final do ano de 2021, na Intersolar South America, a Electro Graphics apresentou uma de suas novidades para o SOLergo 2022, a possibilidade de desenvolver um layout 3D em projetos fotovoltaicos.

A partir disso os usuários do software poderão realizar a modelagem em 3D do local da instalação do projeto, cálculo de perdas por sombreamento, e também a disposição dos módulos fotovoltaicos.

Neste tutorial será mostrado como utilizar as novidades do layout 3D para o SOLergo 2022.

Tutorial

Para a utilização da ferramenta de Layout 3D do SOLergo, será necessário antes de tudo a definição da localização do projeto fotovoltaico, para isso, o primeiro passo será clicar no ícone “Mapa”, localizado na janela “Dados gerais do sistema”, conforme mostrado na Figura 1.

Figura 1 – “Dados gerais do sistema”

Figura 1 – “Dados gerais do sistema”

Após clicar no ícone “Mapa”, o software abrirá uma outra janela reduzida do Google Maps, sendo possível a escolha da localização de duas formas, a primeira forma é a inserção do endereço no primeiro campo da janela, e a segunda forma é selecionar o local diretamente no mapa, conforme mostrado na Figura 2.

Figura 2 – Definição da localização do projeto FV

Figura 2 – Definição da localização do projeto FV

Para a realização do projeto FV definiu-se o endereço em uma rua situada na cidade de Hortolândia/SP, conforme a Figura 2 ilustra, e após isso, para a continuação da construção do layout 3D, acesse a janela de “Exposições” selecione o “Tipo de Instalação” no campo de “Orientação”, conforme mostrado na Figura 3.

Figura 3 – “Exposições”

Como o projeto em questão é residencial, selecionou-se o tipo como “Ângulo fixo” já que os módulos FV serão fixados ao telhado, feito isso, o próximo passo consiste na construção do projeto em 3D, ao clicar no ícone “Layout 3D” ainda na janela de “Exposições”, será aberta uma nova janela onde será possível realizar a importação da planimetria, conforme mostrado na Figura 4.

Figura 4 – “Importar planimetria”

A importação da planimetria poderá ser realizada de duas formas, a primeira forma é via Google Maps, ao clicar no ícone “Do Maps” abrirá uma janela idêntica ao da Figura 2, a segunda forma é importando uma foto em 360° direto do computador, ao clicar no ícone “Do arquivo”, ambos mostrados na Figura 4.

Para este artigo a forma escolhida foi utilizar a planimetria importada via Google Maps. Com isso, após a escolha da residência, vide Figura 2, é preciso definir as superfícies da residência, criar superfícies para cada área do terreno escolhido e para cada água do telhado. 

Como a residência escolhida possui uma garagem e o telhado da casa possui duas águas, será necessário a criação de três superfícies. Para cada superfície a se criar, será necessário clicar no ícone “Nova superfície” e definir os contornos da área, conforme a Figura 5 mostra.

Figura 5 – Criação das superfícies

Após a criação das superfícies da residência, dá-se início a construção do layout 3D. Ao clicar no ícone “Editar 3D”, é possível configurar a altura e inclinação da residência. Para configurar a altura da superfície é preciso clicar e segurar no círculo localizado à extremidade da aresta de referência (vermelha), e mover o cursor de acordo com a altura desejada.

Para configurar a inclinação da superfície o processo é similar, diferindo apenas na aresta, que para a configuração da inclinação será a amarela. Para editar separadamente cada superfície é necessário apertar e segurar o botão “Control” do teclado antes de realizar o processo descrito anteriormente.

Ainda na parte da edição do layout 3D, é possível realizar a identificação das superfícies independentes e também definir qual superfície será uma área para alocação de módulos, como mostrado na Figura 6.

Figura 6 – Construção do layout 3D

O próximo passo na construção do layout 3D será a identificação dos perfis de sombra, para isso, ao clicar no ícone “Identificar as áreas” selecionou-se a opção “traçar perfis de sombras…”, conforme a Figura 7 mostra, e assim surgirá uma nova janela para a configuração do perfil de sombra, podendo ser configurado o dia, a densidade e o horário de análise, conforme a Figura 8 mostra.

Figura 7 – “Identificar áreas”

Figura 8 – Configuração do perfil de sombra

Em seguida, com o perfil de sombra traçado, o layout mostra a disposição do sombreamento na área em que os módulos fotovoltaicos serão alocados, para este projeto os módulos serão alocados ao telhado da garagem, conforme a Figura 9 mostra.

Figura 9 – Perfil de sombreamento simulado

Ao finalizar a seção de “Exposições”, será possível alocar os módulos no layout construído. Com isso, na janela de “Layout” aparecerá o desenho construído em 2D para a alocação dos módulos. Essa alocação pode ser  feita automaticamente pelo software, mas existe também a possibilidade de configurar a disposição dos módulos manualmente. Para este projeto foram utilizados 8 módulos FV de 300Wp em série para 1 inversor com MPPT, conforme mostrado na Figura 10.

Figura 10 – “Layout”

Figura 10 – “Layout”

Com base nisso, torna-se possível a visualização em 3D do projeto com os módulos FV alocados no telhado. Ao clicar no ícone “Layout 3D” dentro da janela de “Layout”, uma nova aba se abre com o layout 3D finalizado, conforme mostrado na Figura 11. Além disso, nesse mesmo ícone da Figura 11 é possível quantificar os valores de perdas por sombreamento. Ao clicar no ícone “Iniciar a simulação”, uma nova aba se abrirá com os valores mensais e o valor anual das perdas por sombreamento.

Figura 11 – Layout finalizado

Figura 12 – Perdas de sombreamento quantificadas

Vitor Borges

Vitor Borges

Integrante da equipe de engenharia do Canal Solar. Possui conhecimento técnico em operações em subestações de energia, instalações, circuitos, especificações de projetos elétricos, funcionamento de componentes, entre outros. Graduando em Engenharia Elétrica pela PUC-Campinas.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.