350 mil pessoas devem se beneficiar com energia elétrica na Amazônia

O acordo de cooperação técnica foi assinado entre o MME e o BNDES

O Programa Mais Luz para a Amazônia deve ser responsável por levar o acesso à energia elétrica para cerca de 350 mil pessoas localizadas na região da Amazônia Legal, por meio de acordo de cooperação técnica assinado entre o MME (Ministério de Minas e Energia) e o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

A assinatura do pacto entre as instituições tem como objetivo captar recursos financeiros para a execução do projeto, que está orçado em R$ 3 milhões.

De acordo com o ministro Bento Albuquerque, a implementação de energia elétrica pode dar espaço para outros projetos. “É possível ainda que, posteriormente, outras políticas públicas contemplem as comunidades beneficiadas com o Mais Luz, tendo em vista a premissa básica da necessidade de energia elétrica e levando em consideração o desenvolvimento social, econômico e a necessidade de preservação ambiental”, afirmou Albuquerque.

Além disso, a parceria entre as instituições pretende qualificar o Programa Mais Luz para a Amazônia como beneficiário dos recursos do GCF (Green Climate Fund), ou mesmo de outras fontes de financiamento internacionais.

Segundo Rodrigo Santana, diretor do Departamento de Políticas Sociais e Universalização do Acesso à Energia Elétrica do MME, a iniciativa já conta com R$ 1,1 bilhão aprovado para 2021 pela CDE (Conta de Desenvolvimento Energético), que deve custear 90% do Programa.

Santana ainda afirma que os termos de execução do projeto já estão em processo de finalização e as obras devem ser iniciadas em novembro.

Gustavo Montezano, presidente do BNDES, enfatizou a importância de outros agentes também investirem na região. “Vamos atuar com senso de propósito e colaboração, pensando no bem do povo e do Brasil. É uma agenda que tomou uma relevância muito forte no Banco e que irá nos pautar nos próximos anos”, concluiu.

Energia solar na Amazônia

Ainda no começo deste mês, o MME e a Equatorial Pará assinaram um compromisso, para levar, por meio do Programa Mais Luz para Amazônia, sistemas de geração que utilizam energia renovável, especialmente, a solar fotovoltaica.

O acordo prevê a preservação da Floresta Amazônica, tendo em vista que a energia solar é uma fonte sustentável e limpa, com diminuição da emissão de gases do efeito estufa.

A Reserva Extrativista Renascer deve ser a primeira localidade contemplada pelo programa. A previsão é, que até final deste ano, 205 famílias sejam atendidas.

Imagem de Redação do Canal Solar
Redação do Canal Solar
Texto produzido pelos jornalistas do Canal Solar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal