7 de maio de 2021

Carrinho

Complementaridade da eletromobilidade e das energias renováveis no Brasil

O crescimento do mercado de veículos elétricos surge como uma oportunidade para as fontes renováveis

Autor: 9 de abril de 2021abril 16th, 2021Opinião
Complementaridade da eletromobilidade e das energias renováveis no Brasil

Artigo publicado na Revista Canal Solar

As vendas de veículos elétricos cresceram 43% no mundo em 2020, totalizando mais de 3 milhões de unidades, sendo 1,3 milhão de veículos vendidos somente na China, o que corresponde no total a uma fatia de 4,2% do mercado global de veículos. 

Cerca de 150 novos modelos híbridos plug-in e elétricos serão lançados em 2021. No Brasil, as vendas de veículos eletrificados também cresceram, totalizando 19.745 em 2020, um aumento de 66% em relação aos 11.858 veículos vendidos em 2019 e de 397% em relação ao ano de  2018.

O crescimento do mercado de veículos elétricos surge como uma oportunidade para as fontes renováveis, em especial a solar fotovoltaica e a eólica, uma vez que o uso de veículos híbridos plug-in, ou 100% elétricos, ocasionará maior consumo de energia elétrica.

Este fato abre portas para sistemas de geração distribuída solares ou a compra de energia de fontes renováveis no mercado livre para grandes consumidores que podem realizar recargas noturnas (frotistas de logística urbana, de transporte ou de concessões públicas).

Os setores automotivo e de energia elétrica vêm passando por transformações profundas. De um lado, a rede elétrica será cada vez mais digital, descentralizada e descarbonizada (3Ds) e, por outro, os veículos elétricos ocupam o centro de uma nova mobilidade sustentável, cada vez mais compartilhada, digital e eletrificada. 

As gerações mais jovens não sonham mais em comprar um carro de última geração. Elas querem consumir o serviço de mobilidade com praticidade e, se possível, com sustentabilidade (este é o conceito MaaS – Mobility as a Service).Portanto, o papel dos veículos elétricos na mobilidade sustentável e na construção de cidades inteligentes será cada vez maior.

Todo carro elétrico será um sistema de armazenamento de energia móvel conectado à rede, que poderá ser utilizado para abastecer sua residência ou empresa quando faltar energia, ou ainda arbitrar o preço da energia (veículo elétrico abastecendo o consumidor no horário de ponta e depois fazendo recarga noturna quando o preço da energia for menor). 

Ambos os conceitos de MaaS e da energia como serviço (EaaS – Energy as a Service) vêm se complementando e empoderando os clientes a conhecer mais sobre o consumo energético, os horários de maior geração e o consumo de cada equipamento em nossas casas. 

Ainda não sabemos qual sistema se consolidará como o controlador de todas essas tecnologias, com o uso do 5G, da inteligência de aprendizado de máquina (machine learning) e dos sistemas de tarifação e remuneração com blockchain.

Mas sabemos que tudo será integrado e conectado. E que os inversores dos painéis solares e dos veículos elétricos vão se complementar, monitorando e empoderando o consumidor sobre sua geração própria e seu consumo de energia. 

Transporte público eletrificado

A China lidera o mundo nos ônibus elétricos. Mais de 500 mil ônibus elétricos já estão operando no país, eletrificando 100% das frotas das grandes cidades da China.

Shenzhen, por exemplo, renovou 100% de suas frotas de ônibus e táxis com veículos elétricos entre 2012 e 2017 – mais de 16 mil ônibus e 35 mil táxis – o que melhorou significativamente a qualidade do ar e ajudou a consolidar uma empresa da cidade, a BYD, como a maior fabricante de ônibus elétricos do mundo. 

Na América Latina já temos casos emblemáticos de renovação de frotas para elétricos, como o caso de Chile e de Bogotá, capital da Colômbia.

Bogotá, no final de 2020, assinou três contratos com a BYD, totalizando 1.002 ônibus elétricos, a maior venda única fora da China, somando mais de 1.550 ônibus elétricos da BYD somente para a Colômbia em 2020, o que demonstra que o TCO (total cost of ownership, custo total de operação) está cada vez mais favorável para esse tipo de transporte.

No Brasil as primeiras frotas de ônibus elétricos já operam em 10 cidades pelo país, com liderança para Campinas, São Paulo e Brasília. A revolução da mobilidade elétrica chegou e abrirá cada vez mais oportunidades às energias renováveis no Brasil e no mundo.

Curso usinas solares
Adalberto Maluf

Adalberto Maluf

Bacharel em Relações Internacionais e Mestre em Economia Política Internacional (MSc) pelo Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (IRI/USP). Presidente da ABVE (Associação Brasileira de Veículos Elétricos). Diretor de marketing, sustentabilidade e novos negócios da gigante de energia limpa e mobilidade elétrica BYD.

Comentar