Alexandre Silveira anuncia secretaria de transição energética

Objetivo é estruturar políticas públicas para colocar o Brasil como líder mundial em energia limpa
Alexandre Silveira anuncia secretaria de transição energética
Alexandre Silveira faz discurso durante cerimônia de anunciação. Foto: Tauan Alencar

O novo ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, anunciou que irá criar uma secretaria nacional de transição energética, dedicada, exclusivamente, segundo ele, para estruturar políticas públicas para colocar o Brasil como líder mundial em energia limpa.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (2), durante a cerimônia de assunção ao cargo, em Brasília (DF).

Em seu discurso, Silveira afirmou que o planejamento das ações da Pasta será fundamental para garantir energia para que o país possa se desenvolver e movimentar setores como  a indústria e a agricultura, além de gerar empregos e renda para a população.

“Vamos concentrar esforços para modernizar o nosso parque de geração, investir em tecnologia e na otimização da gestão (…) O futuro deve se guiar no rumo da inovação e da ampliação das fontes renováveis, aliadas à incorporação de tecnologias de armazenamento e de hidrogênio de baixo carbono”, afirmou o ministro.

O novo ministro também destacou a importância do País trabalhar em busca de mais segurança jurídica para os contratos e regulatória para os agentes. Ele também ressaltou a importância do Brasil atrair investimentos no setor elétrico, de modo a garantir que novos riscos de apagões não venham a acontecer, como foi em 2021.

Por esse motivo, a criação da nova secretária é considerada por ele como uma maneira de ajudar a diversificar a matriz nacional. “Vamos concentrar esforços para modernizar nosso parque de geração, investir em tecnologia e na otimização da gestão, sempre olhando para o equilíbrio entre modicidade tarifária e confiabilidade de suprimento”, afirmou.

Luz Para Todos

O ministro também falou sobre a importância de avançar nas políticas sociais, como a conclusão do Programa Luz Para Todos – que visa atender famílias brasileiras que ainda não têm acesso à energia.

O programa foi criado na administração Lula e está sendo executado desde 2004. No de Bolsonaro, foi criado uma versão específica para as populações de regiões remotas da Amazônia Legal, chamado Mais Luz para a Amazônia.

“Precisamos universalizar o acesso à energia e exterminar a miséria elétrica. Por isso, vamos trabalhar para concluir o programa Luz para Todos, levando energia elétrica mais barata, estável e limpa para todos os rincões do nosso Brasil”, disse Silveira.

Imagem de Henrique Hein
Henrique Hein
Atuou no Correio Popular e na Rádio Trianon. Possui experiência em produção de podcast, programas de rádio, entrevistas e elaboração de reportagens. Acompanha o setor solar desde 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal