25 de fevereiro de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,8GW

ANEEL anuncia bandeira verde, mas ONS vê chuvas abaixo da média em fevereiro

Carga de energia neste mês deve registrar crescimento de 5,5%; em janeiro a estimativa é de 9,9%

Autor: 30 de janeiro de 2024janeiro 31st, 2024Setor Elétrico
3 minutos de leitura
ANEEL anuncia bandeira verde, mas ONS vê chuvas abaixo da média em fevereiro

Imagem: Pixabay

A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) anunciou que o mês de fevereiro terá bandeira verde, ou seja, sem qualquer custo adicional na conta de luz. Há 22 meses (desde de abril de 2022) a sinalização permanece a mesma devido às boas condições de geração de energia. 

“Com a geração em franca expansão, principalmente de fontes renováveis e limpas, alcançamos 22 meses seguidos de bandeira verde acionada. Sinal bastante positivo para o país que reflete condições favoráveis de geração de energia”, reforçou o diretor-geral da ANEEL, Sandoval Feitosa.

As bandeiras tarifárias existem desde 2015 e servem para sinalizar ao consumidor as condições de fornecimento de energia. A cor amarela indica um estado de atenção e por isso há um custo adicional. As bandeiras vermelha 1 e 2 já indicam uma situação de escassez no setor de geração, por isso há um sobrecusto ainda maior na conta de luz dos brasileiros. 

Escassez de chuvas e carga em crescimento

Parece até contraditório, mas o ONS (Operador Nacional do Sistema) informou que as perspectivas para ENA (Energia Natural Afluente) estão abaixo da média para um período tipicamente úmido. O que o órgão quer dizer é que não está chovendo como deveria nessa época do ano nas bacias que alimentam as hidrelétricas. 

Em fevereiro, a previsão é que as chuvas fiquem abaixo da média nos subsistemas Sul (77%), Sudeste/Centro-Oeste (71%) e Nordeste (61%). Apenas o submercado Norte deverá ter afluências dentro da média, de 102%.

Apesar desse cenário desfavorável, o ONS explica que não há preocupação em relação ao fornecimento de energia, já que os reservatórios das hidrelétricas se encontram em níveis favoráveis. A Energia Armazenada para fevereiro está projetada em 95,2% no Norte, 68,2% no Sudeste/Centro-Oeste, 63% no Nordeste e 46,2% no Sul.

Por outro lado, a carga de energia está em crescimento no SIN (Sistema Interligado Nacional). O órgão estima um avanço de 5,5% (82.607 megawatts-médios) na comparação com fevereiro de 2023. Nos subsistemas as previsões são: Nordeste, 8,2% (13.587 MWmed), Sudeste/Centro-Oeste, 4,5% (46.871 MWmed), Norte 14,5% (7.635 MWmed) e Sul, 2% (14.514 MWmed).

“Apesar da ocorrência de precipitação abaixo da média histórica em bacias hidrográficas localizadas nas Regiões Sudeste, Centro-Oeste, Norte e Nordeste, durante o período de outubro de 2023 a janeiro de 2024, quando é caracterizada a estação chuvosa, temos energia armazenada. Porém, o atendimento nos horários de ponta de carga, aqueles de maior demanda da sociedade, é um desafio para a operação, podendo ser necessário o acionamento do despacho térmico adicional”, explica Luiz Carlos Ciocchi, diretor-geral do ONS.

Em janeiro, a caga no SIN deve registrar avanço de 9,9% (82.009 MWmed) comparado com o mesmo período do ano anterior. Nos subsistemas as previsões são: Sudeste/Centro-Oeste (46.763 MWmed – 11,2%), Norte (7.233 MWmed – 11,2%) , Nordeste (13.370 MWmed – 10,1%) e Sul (14.643 – 5,1%). 


Todo o conteúdo do Canal Solar é resguardado pela lei de direitos autorais, e fica expressamente proibida a reprodução parcial ou total deste site em qualquer meio. Caso tenha interesse em colaborar ou reutilizar parte do nosso material, solicitamos que entre em contato através do e-mail: [email protected].

Wagner Freire

Wagner Freire

Wagner Freire é jornalista graduado pela FMU. Atuou como repórter no Jornal da Energia, Canal Energia e Agência Estado. Cobre o setor elétrico desde 2011. Possui experiência na cobertura de eventos, como leilões de energia, convenções, palestras, feiras, congressos e seminários.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.