14 de abril de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 13,1GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 28,4GW

BYD Brasil produz painel de alta eficiência e baixo coeficiente térmico

Com tecnologia nacional, o módulo Harpia traz a tecnologia N-Type TOPCon e potência de até 575 Wp

Autor: 16 de janeiro de 2023Tecnologia e P&D
4 minutos de leitura
BYD Brasil produz painel de alta eficiência e baixo coeficiente térmico

Novo módulo Harpia N-Type Topcon 555 Wp. Foto: BYD/Divulgação

A BYD Energy do Brasil começou a produzir o módulo fotovoltaico Harpia, que traz a tecnologia N-Type TOPCon e potência de até 575 Wp. O primeiro lote já foi produzido para venda.

A novidade – cujo projeto foi desenvolvido integralmente pela área de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) da empresa no Brasil – traz grandes diferenciais como, por exemplo, uma maior eficiência energética.

Mais uma vantagem, segundo a fabricante, é o seu baixo coeficiente térmico, 12,8% menor em relação a produtos anteriores, característica de suma importância em países como o Brasil, que tem clima tropical.

O Harpia conta ainda com taxas reduzidas de LID (Degradação Induzida pela Luz) e PID (Degradação Induzida pela Potência) ao longo do tempo. A nova tecnologia permite que o índice de degradação chegasse a menos de 0,5% ao ano, contra cerca de 0,7% de equipamentos anteriores.

De acordo com a companhia, para atingir níveis altos de confiabilidade, qualidade e eficiência, houve uma série de etapas desenvolvidas e uma longa trajetória de experimentação, incluindo complexos testes de laboratório, passando por avaliações de confiabilidade do protótipo, até chegar ao produto final.

O Harpia foi desenvolvido totalmente no país, pela equipe brasileira. Foto: BYD/Divulgação

O Harpia foi desenvolvido totalmente no país, pela equipe brasileira. Foto: BYD/Divulgação

A BYD estará preparada para atender a toda a demanda de mercado para o produto a partir do 2º trimestre de 2023. “Hoje, a BYD Energy conta com uma grande capacidade tecnológica. Aqui no Brasil, temos um staff de engenharia e P&D que supre todas as operações voltadas a novos desenvolvimentos”.

“Tenho convicção de que o início da fabricação deste novo produto atesta que, além de dominarmos uma tecnologia de ponta, atingimos nossa plena maturidade de mercado”, afirmou Marcelo Taborda, diretor de Vendas da BYD Energy do Brasil.

“Toda a nossa eficiência, qualidade e inovação no desenvolvimento de novos produtos são frutos do trabalho de uma equipe qualificada, que tem à disposição uma das melhores e mais atualizada infraestrutura de P&D na área fotovoltaica da América Latina”, destacou Rodrigo Garcia, gerente de P&D da BYD Energy do Brasil.

Mais eficiência

Com a tecnologia do novo módulo Harpia N Type Topcon, torna-se possível reduzir a área de instalação mantendo a mesma energia de saída. A economia acaba se refletindo também em menor aplicação de estruturas metálicas e diminuição do custo do arrendamento da área ocupada.

“Assim, o cliente pode diminuir seus custos, com um investimento menor e ainda melhorar substancialmente a eficiência energética, além de reduzir a quantidade de equipamentos e chegar a um custo operacional mais baixo. Isso, sem contar com as vantagens do novo módulo, em função do baixo índice de degradação anual e alta eficiência, e a possibilidade de redução do LCOE (Levelized Cost of Energy)”, ressaltaram.

O módulo Harpia estará disponível ao mercado a partir do início do 2º trimestre de 2023. Foto: BYD/Divulgação

O módulo Harpia estará disponível ao mercado a partir do início do 2º trimestre de 2023. Foto: BYD/Divulgação

O novo Harpia N Type Topcon possui reduzida taxa de degradação ao longo do tempo. Foto: BYD/Divulgação

O novo Harpia N Type Topcon possui reduzida taxa de degradação ao longo do tempo. Foto: BYD/Divulgação

Vantagens comparativas

Segue, abaixo, uma comparação do Harpia N Type Topcon vs Mono PERC:

  • Potência: > 6,3%;
  • Coeficiente térmico: < 12,8%;
  • Eficiência: > 6%;
  • PID/LID reduzidos;
  • Melhor desempenho em condições de baixas irradiâncias;
  • Menor taxa de degradação anual: – 0,4% ao ano;
  • Redução do LCOE.
Mateus Badra

Mateus Badra

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020. Atualmente, é Analista de Comunicação Sênior do Canal Solar e possui experiência na cobertura de eventos internacionais.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.