21 de abril de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 13,4GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 28,5GW

Como a Alemanha tem lidado com a profissionalização no setor fotovoltaico?

Profissionais são em, sua maioria instaladores, eletricistas ou construtores de telhados com especialização no setor solar

Autor: 18 de julho de 2023abril 2nd, 2024Mundo
6 minutos de leitura
Como a Alemanha tem lidado com a profissionalização no setor fotovoltaico?

Energia solar da cobertura do Estádio Olímpico de Berlim. Foto: Solarwatt/Reprodução

Reportagem publicada na 15ª edição da Revista Canal Solar

SAARBRÜCKEN, ALEMANHA. Com o crescimento da demanda de sistemas fotovoltaicos na Alemanha, a importância de qualificar-se na área se tornou cada vez mais relevante. Qualificação, controle técnico e investimento na carreira.

Em setembro de 2022, a IRENA (Agência Internacional de Energia Renovável), em colaboração com a OIT (Organização Internacional do Trabalho), publicou um novo relatório sobre o crescente número de geração de empregos no setor de energias renováveis.

Em 2021, o setor chegou a gerar 12,7 milhões de novas vagas de trabalho. De acordo com o documento, o mercado solar é o que mais cresce, chegando a atingir um total de 4,3 milhões de empregos em 2021, mais de um terço da mão de obra no cenário global de energias renováveis.

O relatório mostra o quanto alguns países têm investido e criado mais empregos no setor de energias renováveis. A China se destaca com 42% do total mundial de empregos no setor, seguida pela Uniao Europeia e o Brasil, ambos com 10%, e pelos Estados Unidas e Índia, com 7% cada.

Segundo o gráfico publicado em junho de 2022 pela Statista, plataforma on-line alemã de estatísticas, em 2021 o mercado solar na Alemanha atingiu cerca de 58.500 empregos, 19.000 vagas a mais após a queda do setor em 2017.

Um dos fatores pelo crescente aumento na procura por qualificação no setor solar deve-se também às novas leis definidas por alguns estados alemães, como é o caso de Berlim.

Em junho de 2021, entrou em vigor no estado de Berlim a lei solar determinando que, a partir de 2023, todas novas construções devem conter obrigatoriamente um sistema fotovoltaico, salvo exceções, o que acelera não apenas a transição climática do país mas, paralelamente, expande o setor de qualificação de técnicos solares, uma vez que a demanda pelo sistema tem aumentado de forma exponencial.

Qualificação e funções de um instalador de sistema fotovoltaico na Alemanha

Na Alemanha, a expressão “solarteur” é utilizada para denominar os profissionais que trabalham com instalações de sistemas fotovoltaicos.

No entanto, a palavra trata-se apenas de uma expressão para definir o especialista que trabalha nessa área, mas não é oficialmente uma especialização, sendo, inclusive, uma palavra patenteada e protegida pela lei de marcas registradas, Repartição Alemã de Patentes e Marcas (Deutsche Patent- und Markenamt- DPMA)

De acordo com as informações no site a Agência Federal de Empregos da Alemanha, o curso para especialista em tecnologia solar ou técnico solar é uma formação de aperfeiçoamento legalmente regulamentada, podendo ser oferecida como qualificação por instituições como a câmara de profissionais do setor da construção (Handwerskammer), assim como em associações comerciais e profissionais ou instituições de ensino privadas.

Os técnicos solares são em sua maioria instaladores, eletricistas ou construtores de telhados com especialização no setor solar.

Para quem deseja trabalhar na área de construção de sistemas solares, a opção é formar-se nos cursos de Especialista em Tecnologia Solar ou Especialista em Tecnologias Energéticas Ecológicas – ambas capacitam profissionais não apenas para realizar instalações, mas funções que vão desde o planejamento, instalação e manutenção do sistema.

Apesar do termo instaladores ou técnicos solares, esses profissionais também são habilitados a trabalhar com sistemas térmicos para aquecimento.

Existem duas formas para se tornar um técnico de energia solar na Alemanha. Quando já se tem uma formação profissional no setor de construção e deseja-se fazer uma especialização na indústria solar, ou, quando não se tem nenhuma experiência e é possível iniciar os estudos do zero.

A especialização para quem já tem formação e experiência no setor da construção exige alguns pré-requisitos como, por exemplo, ser profissional da construção, mestre da construção civil, montador de telhados, vidraceiro, eletricista e/ou metalúrgico.

Nesse caso, o recomendado é uma especialização ou formação complementar para tornar-se um técnico de instalação de energia solar, com um tempo de duração de curso que pode variar de 4 a 9 meses.

Para quem deseja entrar no mercado de instalador ou técnico solar mas não tem nenhuma formação na área de construção, é preciso iniciar uma nova formação que, dependendo da instituição, pode levar de 1 até 3 anos.

Para ingressar nesse tipo de formação é obrigatório, como pré-requisito, um certificado de conclusão do ensino médio. Após a formação, o salário de um técnico solar pode variar entre 3.840 e 4.280 euros por mês.

Qual o conteúdo oferecido em um curso de técnico solar?

A função do técnico solar ou instalador solar vai muito além do trabalho manual apenas – ele precisa dominar algumas funções que fazem parte do trabalho desse profissional.

Por isso, durante os cursos, o profissional aprende desde a comunicação com os clientes sobre a eficiência econômica dos sistemas solares, as modalidades de alimentação de eletricidade na rede e até mesmo como levar informações sobre os programas de subsídios.

Na parte técnica, um técnico solar precisa dominar os conceitos, as técnicas e normas de projeto, bem como o dimensionamento de equipamentos e componentes.  Além disso, aprendem a realizar os cálculos de custos dos componentes e da instalação, os rendimentos de eletricidade ou energia térmica assim como preparar ofertas e orçamentos.

Passando a execução do projeto, aprendem como fazer as encomendas de materiais e componentes do sistema, além dos conceitos de supervisão, instalação, testes e a colocar o sistema em operação.

No curso oferecido pela Handwerkskamer, por exemplo, fazem parte da grade curricular conteúdos como fundamentos da tecnologia energética, fundamentos da tecnologia de aquecimento, fundamentos da engenharia elétrica, assim como os sistemas solares térmicos e os sistemas fotovoltaicos.

Marketing também faz parte do conteúdo do curso, com o objetivo de preparar o profissional, para que ele domine sobre o mercado, demanda dos clientes, vendas e conceitos publicitários.

Quer saber mais? Baixe gratuitamente a 15ª edição da Revista Canal Solar e leia agora!

Daniele Haller

Daniele Haller

Vivendo na Europa há 12 anos, trabalha como jornalista correspondente para diferentes canais de comunicação no Brasil, assim como para projetos que apoiam o desenvolvimento de brasileiros no mercado de trabalho no exterior. Graduada em Jornalismo pela Estácio de Sá do Ceará em 2008.

Um comentário

  • Tiago Abrantes disse:

    sou técnico Solar Eletricista e telecomunicações trabalho na Área já tenho 4 anos sou autônomo prestador de serviço gostaria de saber como fasso para ter a chance de trabalhar no exterior?

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.