20 de setembro de 2021
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 3,83GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 6,90GW

Carrinho

Cresce número de empresas dedicadas exclusivamente em energia solar

Segundo pesquisa da Greener, 42,3% das companhias apostaram somente na fonte fotovoltaica em 2020 no Brasil

Autor: 10 de fevereiro de 2021Brasil
Cresce número de empresas dedicadas exclusivamente em energia solar

Segundo estudo realizado pela Greener, empresa de consultoria e pesquisa, o número de empresas integradoras dedicadas exclusivamente ao setor de energia solar aumentou em 2020 no Brasil.

Os dados apontaram que 42,3% das companhias apostaram nesta tecnologia limpa e sustentável, um aumento de cerca de 35% frente aos 30,9% que foram contabilizados durante o ano de 2019. 

“Isso reflete a maturação do mercado de GD (geração distribuída) fotovoltaica, à medida que o segmento começa a ganhar mais corpo e os empreendedores começam a fazer mais volume e a ficar mais estruturados. Eles enxergam um caminho relevante na energia solar, passando muitas vezes a ser o principal modelo de negócio, o principal produto”, disse Márcio Takata, diretor da Greener. 

“Da mesma forma, é importante salientar que 58% das empresas ainda diversificam o seu leque de produtos, especialmente as que são mais novas no segmento, pois muitas atuam com produtos que diferem para completar o portfólio – uma medida também positiva no sentido de trazer maior diversificação e menos riscos”, relatou Takata. 

Cursos de capacitação

Outro ponto ressaltado pela pesquisa da Greener é que os cursos presenciais e online fornecidos por empresas de capacitação são a principal fonte de conhecimento para atuar no setor fotovoltaico (64,4%).

Ainda de acordo com o estudo, entre os integradores que iniciaram suas atividades em 2020, conteúdos online disponibilizados pelo mercado também tiveram alta procura (27,2%). 

Economia é a principal motivação

Segundo a consultoria, a maior parte dos comércios que adquiriram sistemas fotovoltaicos indicou como sua principal motivação a economia (84%). Já em segundo lugar está a sustentabilidade (8%). Valorização do imóvel e insatisfação com a concessionária de energia também foram mencionadas, mas não entre as principais motivações.

Sobre a pesquisa

Ao total, 1.579 integradores participaram da pesquisa no período de 25 de novembro de 2020 a 10 de janeiro de 2021. O estudo contou com uma amostragem de empresas de todo o país, de todos os portes e idades.

Mateus Badra

Mateus Badra

Trabalhou como produtor, repórter e apresentador na Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro há mais de um ano, atuando nas editorias de Mercado e Tendências, Mobilidade Urbana, P&D e Equipamentos. Jornalista graduado pela PUC-Campinas.

Comentar