21 de fevereiro de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,8GW

Empresários do setor debatem Marco Legal da GD com o deputado Marcelo Ramos

Houve conversa aberta, com exposição de ideias, mas segue o impasse sobre a compensação de créditos

Autor: 10 de junho de 2021Brasil
2 minutos de leitura
Empresários do setor debatem Marco Legal da GD com o deputado Marcelo Ramos

Profissionais do setor de energia solar se reuniram, no final da manhã desta quinta-feira (10), com o vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL/AM), para tratar de divergências envolvendo a votação do PL 5829 (Projeto de Lei n.º 5829/2019), que visa a criação do Marco Legal da GD (geração distribuída) no Brasil. 

Durante a reunião, Ramos sugeriu a realização de um encontro com a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) para simular de forma prática como os projetos de GD ficariam após o período de transição.

O período previsto no texto, de autoria do deputado Silas Câmara (Republicanos/AM) e de relatoria do parlamentar Lafayette de Andrada (Republicanos/MG), é de oito anos. 

“Combinamos de, na próxima quarta-feira, ir até a Aneel para fazer uma simulação de um caso pratico de uma GD e como ficaria após um período de transição. Só assim, a gente vai conseguir transformar em números o que está nos divergindo”, disse Ramos.

Participaram do encontro Bayron Silveira, da APBSOLAR (Associação Paraibana de Energia Solar); Hugo Brito da Ecori Energia; Eliana Cavalcanti e Sandro Santana da Anesolar (Associação Nordestina de Energia Solar); Bruno Kikumoto, do Canal Solar; e Silvio Sakata, da S2B.

Henrique Hein

Henrique Hein

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como repórter do Jornal Correio Popular e da Rádio Trianon. Acompanha o setor elétrico brasileiro pelo Canal Solar desde fevereiro de 2021, possuindo experiência na mediação de lives e na produção de reportagens e conteúdos audiovisuais.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.