5 de julho de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 5.09GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 11,3W

Estudo indica aumentos abusivos na conta de luz durante pandemia

De acordo com o Idec, 335 consumidores conseguiram quitar a conta, mas comprometeram o orçamento

Autor: 14 de dezembro de 2020março 5th, 2021Setor Elétrico
Estudo indica aumentos abusivos na conta de luz durante pandemia

A pandemia da Covid-19 provocou uma série de medidas restritivas para a população, entre elas a determinação do isolamento social. Por conta disso, muitas famílias relataram aumento expressivo na conta de luz. É o que aponta uma pesquisa realizada pelo Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor).

Ademais, a cobrança das tarifas pela média em determinados períodos e erros das distribuidoras também foram fatores que causaram dificuldades para a população na hora de pagar os gastos com energia elétrica nos últimos meses.

Segundo o instituto, por exemplo, 335 consumidores conseguiram quitar a conta, mas comprometeram o orçamento. Outros 157 não conseguiram pagar os gastos.

O relatório apresentado pelo Idec mostra que, na maioria dos casos, o aumento registrado ocorreu durante o período mais acirrado da pandemia de coronavírus, quando a cobrança foi feita pela média do consumo dos 12 meses anteriores em boa parte dos estados.

Além disso, nesse período de isolamento, foi apontado que a maioria das famílias passou mais tempo em casa. “Por isso, com a retomada da leitura presencial dos medidores, as empresas puderam verificar a diferença entre os valores cobrados e os valores efetivamente consumidos nesses meses”,  explicou Igor Britto, diretor de Relações Institucionais do Idec.

“Essa diferença foi cobrada em uma única vez, o que levou a aumentos significativos nas contas, principalmente de julho e agosto”, acrescentou o especialista.

De acordo com ele, o levantamento também aponta diversos casos de consumidores que não concordam com os valores cobrados pelas distribuidoras e cujas reclamações não foram adequadamente respondidas.

“Os mesmos também não foram informados com transparência quanto a seus direitos em relação ao assunto, como a possibilidade de parcelamento das contas”, ressaltou Britto.

Medidas

A partir dos resultados, o executivo comentou que o Idec vai notificar o Procon, o MPF (Ministério Público Federal) e a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) para que tomem as medidas cabíveis contra as distribuidoras por falhas na prestação do serviço e na comunicação com os consumidores.

A expectativa é que os órgãos analisem as informações, exijam explicações das empresas e, se for o caso, apliquem penalidades.

Sobre a pesquisa

Realizada entre os dias 21 de setembro e 23 de outubro por meio de formulário divulgado por meio das redes sociais do Idec e em veículos de imprensa locais, a pesquisa contou com 594 respostas válidas.

A pesquisa aponta ainda que 93% dos participantes (553 respostas) identificaram que houve aumento expressivo nas suas contas de luz durante a pandemia, dos quais 92% (508) consideram que o aumento não foi coerente com o consumo.

Energia solar é alternativa para reduzir gastos

De acordo com Ronaldo Koloszuk, presidente do Conselho da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), um sistema fotovoltaico bem dimensionado pode reduzir em até 95% os gastos dos consumidores com eletricidade.

“Isso alivia, consequentemente, o orçamento das famílias e permite destinar os recursos para outras necessidades essenciais, como alimentação, saúde e educação”, destacou Koloszuk.

“A tecnologia fotovoltaica se tornou uma importante aliada neste momento crítico da economia brasileira e mundial. Ela traz economia direta ao bolso dos brasileiros, alivia o orçamento das empresas e dos governos, os protege contra aumentos recorrentes das tarifas e ainda ajuda o meio ambiente e a sustentabilidade”, acrescentou Rodrigo Sauaia, CEO da ABSOLAR.

Mateus Badra

Mateus Badra

Atuou como produtor, repórter e apresentador na Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro há mais de dois anos, atuando nas editorias de Mercado e Tendências, Mobilidade Urbana, P&D e Equipamentos. Jornalista graduado pela PUC-Campinas.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.