14 de abril de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 13,1GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 28,4GW

Fraudes no setor solar tem dificultado aprovação de crédito, afirmam financiadoras

Para executivos, integradores precisam buscar mais conhecimento técnico para atender as necessidades de seus clientes.

Autor: 27 de outubro de 2023Financiamento
3 minutos de leitura
Fraudes no setor solar tem dificultado aprovação de crédito, afirmam financiadoras

Painel de discussão sobre financiamento de projetos FV. Foto: Canal Solar

A falta de conhecimento dos integradores e as recorrentes tentativas de fraude para obtenção de financiamentos são fatores que têm prejudicado a oferta e a liberação de crédito para os consumidores que almejam ter energia solar em seus imóveis.

Este foi o principal ponto de debate do painel de discussão do Canal Conecta sobre financiamentos de sistemas fotovoltaicos, que contou com a presença de executivos de instituições financeiras que oferecem linhas de crédito para o setor de energia solar.

Segundo os profissionais, é de fundamental importância que os integradores facilitem o trabalho das financiadoras para que elas liberem créditos com tranquilidade. “Hoje, cerca de 25% das propostas que recebo são tentativas de fraude”, disse Nuno Verças, CEO da Sol Agora.

Alexandre Ferreira, CEO da Bluesun Finance, explica que a falta de coerência de uma proposta enviada é o que mais complica a aprovação do crédito dos clientes. “Quando vocês [integradores] fazem um filtro de coerência e trabalham produzindo resultados previsíveis, isso é uma ajuda tremenda para nós”, comentou ele.

“Tem cliente que tem uma conta de energia elétrica de R$ 150,00 e que o integrador quer colocar um kit de energia solar na casa dele de 20 kW. Ou, então, uma proposta porém um financiamento de 72 parcelas no nome da sogra do cliente, que tem 75 anos de idade. Quando isso acontece, o pedido será negado por se tratar de uma potencial fraude”, exemplificou Ferreira.

Segundo Verças, é importante que os integradores busquem mais conhecimento técnico para conseguir atender as necessidades dos clientes, de modo que a proposta de financiamento seja minimamente viável tanto para as instituições financeiras como para seus clientes.

“Isso depende muito do integrador fazer um bom trabalho de aquisição de informações do cliente. No momento da análise de crédito, qualquer banco vai querer ter o máximo de informações sobre o cliente”, destacou.

Já Valnei Serpa, head nacional comercial da Sim, um braço do Grupo Santander, ressaltou que as tentativas de fraude para obtenção de financiamentos é algo muito ruim para o setor de energia solar como um todo, uma vez que os integradores que agem da forma correta também serão afetados.

“Nós [bancos e instituições financeiras] acabamos tendo que tomar atitudes mais radicais [quando o volume de fraudes começa a ficar muito alto], como apertar aprovação ou aumentar a taxa do financiamento, o que inviabiliza a venda de produtos”, completou Serpa.

Restrição de crédito

Durante o painel de discussão, Marco Conte, consultor de inovação e inteligência de mercado na Greener, também trouxe dados de estudos recém-divulgados pela empresa de pesquisa e consultoria.

O profissional explicou que elevada taxa de juros e a alta percepção de risco por parte das agências financiadoras contribuíram para que o primeiro semestre de 2023 fosse marcado por uma restrição de crédito, com uma queda de cerca de um terço do volume de vendas financiadas em relação ao mesmo período do ano passado.

Henrique Hein

Henrique Hein

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como repórter do Jornal Correio Popular e da Rádio Trianon. Acompanha o setor elétrico brasileiro pelo Canal Solar desde fevereiro de 2021, possuindo experiência na mediação de lives e na produção de reportagens e conteúdos audiovisuais.

9 comentários

  • Osmair silva disse:

    esta dificil mesmo conseguir financiamento muitos clientes ate desisten de comprar um sistema

  • isso é só cobrar da empresa
    para ter mais contato entre si
    aí gera mais confiança quando as 2 estão juntas

  • LEONARDO DA SILVA MOHAUPT disse:

    Enquanto perdurar o Ganância das Financeiras, de SEMPRE FATURAREM, e as Empresas de equipamentos fotovoltaicos SEMPRE LUCRAREM, e os Clentes SEMPREM ARCAREM com este Sistema, e as Empresas de Distribuição de Energia Elétrica SEMPRE PROMOVEREM a criação de Regulamentos que desistimulam a instalação de novos sistemas, tudo será mais LENTO, DIFÍCIL E ORENOSO. Parabêns Brasil, por esta mentalidade danosa.

  • Concordo plenamente com a matéria. Hoje, infelizmente, temos uma “empresa de energia solar” em cada esquina, formadas por “pessoas ” sem nenhum tipo de conhecimento técnico na área.
    Tais “empresas”, fazem de tudo para fechar vendas, e usam os distribuidores de equipamentos FV para fazerem tudo.
    Não quero dizer que a culpa é do distribuidor, porém, estes, deveriam também filtrar tais integradores para verificar a veracidade da tal empresa, se cumpre com seus compromissos por exemplo.
    Recentemente, tive um cliente que fez um financiamento por uma dessas tais “empresas”, só que a empresa já havia recebido o valor total do financiamento, e adivinhem só, sumiram. Então fui procurado para fazer a homologação e execução da obra.
    Longe de mim criar polêmica, mas seria necessário que os distribuidores analisassem para quem vendem, afinal, o nome deles também estão ali, nas garantias dos equipamentos.

  • George Pereira Cavalcante disse:

    Muito superficial sua avaliação. Quem tem que analisar crédito é o agente financeiro e não a engenharia.
    Se o cara tem uma conta de energia de 150kwh e quer colocar um sistema 12.000kwh não é responsabilidade do agente financeiro analisar isso, e sim se o tomador tem crédito.
    Afinal o tomador do crédito é quem sabe o que quer.
    Agora o agente financeiro na verdade quer transferir seus custos e sua carga de trabalho para o agente técnico.

  • LEANDRO FRANCISCO KUNZLER disse:

    como se trata de uma energia sustentável , deveria ter mais incentivo do governo e maior acessibilidade ao crédito através de instituição financeira. Estou tentando investir usina de energia solar, um investimento futuro e menos prejudicial ao meio ambiente, mas não tem linha acessivel pra isso, muito pelo contrário , parece que o acesso e limitado.

  • luiz antonio de oliveira disse:

    As agências financiadoras poderiam promover o treinamento/capacitação dos integradores, aperfeiçoando o conhecimento para maior integração dos negócios entre as partes, agilizando os processos e melhorando o percentual de aprovação.

  • luiz antonio de oliveira disse:

    As agências financiadoras poderiam promover o treinamento/capacitação dos integradores, aperfeiçoando o conhecimento para maior integração dos negócios entre as partes, agilizando os processos.

  • luiz antonio de oliveira disse:

    As agências financiadoras poderiam promover o treinamento/capacitação dos integradores, aperfeiçoando o conhecimento para maior integração dos negócios entre as partes.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.