Eletrobras e fundo do BTG foram os grandes vencedores do 1º leilão de transmissão do ano

Certame foi realizado nesta quinta-feira (28) e teve todos os 15 lotes arrematados, com R$ 18,2 bilhões em investimentos previstos
Eletrobras e fundo do BTG foram os grandes vencedores do 1º leilão de transmissão do ano
Foto: Freepik

A Eletronorte, subsidiária da Eletrobras, e o fundo de investimentos Warehouse, do Grupo BTG Pactual, foram os grandes vencedores do primeiro leilão de transmissão de energia elétrica de 2024. 

O certame foi realizado pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) e pelo MME (Ministério de Minas e Energia) nesta quinta-feira (28), na sede da B3, em São Paulo (SP). 

Todos os 15 lotes ofertados foram arrematados, com um deságio médio de 40,62%, e investimentos de R$ 18,2 bilhões – o segundo maior da história, atrás apenas do certame realizado em dezembro do ano passado (R$ 19,7 bilhões). 

A Eletrobras arrematou sozinha quatro lotes, entre eles o de maior extensão e potência, o lote 5. Os outros lotes arrematados pela empresa foram o 1, 3 e 9. As obras das empresas serão realizadas nos estados do Ceará, Piauí, Pernambuco, Alagoas, Bahia e Santa Catarina.

Já o fundo de investimentos do Grupo BTG Pactual arrematou o lote com o maior valor de investimento estimado do leilão, o de número 6. O fundo também venceu as disputas pelos lotes 4 e 14. As obras abrangem os estados da Bahia, Minas Gerais, Alagoas, Paraíba, Pernambuco e no Rio Grande do Norte.

Ao todo, o primeiro leilão de transmissão de 2024 prevê a construção de 6.464 quilômetros de novas linhas e subestações com 9.200 MW em capacidade de transformação. 

A estimativa é que sejam criados mais de 34,9 mil empregos para realização de obras nos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins. 

À imprensa, o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) avaliou como positivos os resultados do primeiro leilão de transmissão de 2024, destacando a importância do papel da energia solar e eólica. 

“Assim como ocorre no segmento de energia em todo o mundo, o setor elétrico brasileiro passa por transformações aceleradas e as plantas eólicas e solares são o motor de crescimento do parque gerador brasileiro. A ampliação da transmissão é essencial para a integração desses projetos ao SIN e para a consolidação do processo de transição energética “, disse Luiz Carlos Ciocchi, diretor-geral do ONS.

Confira os detalhes de cada um dos lotes arrematados no certame:

Lote 1: a Eletronorte arrematou o lote 1 do leilão, com uma oferta de R$ 162,3 milhões (deságio de 42,93% em relação ao valor máximo previsto pela ANEEL) para realizar a entrega de 538 quilômetros de linhas de transmissão e subestações nos estados do Ceará e do Piauí. O investimento previsto para isso será de R$ 1,7 bilhão. 

Lote 2: a EDP foi a empresa que vendeu o lote 2 após oferecer um valor de R$ 135 milhões, com um deságio de 45,97%. Ao todo, serão realizados 537 quilômetros em obras de linhas de transmissão no Piauí a partir de um investimento previsto da ordem de R$ 1,5 bilhão. 

Lote 3: a Eletronorte também arrematou o lote 3 do leilão por um valor de R$ 114,9 milhões, com um deságio de 26,94%. A empresa terá que construir 337 quilômetros em linhas de transmissão, com potência de 1.800 MVA, no Ceará. Os investimentos estimados são de R$ 983,4 milhões. 

Lote 4: o fundo Warehouse, do Grupo BTG Pactual, venceu o lote 4 pela oferta de R$ 111,7 milhões, com um deságio de 30,50%. Serão construídos 411 quilômetros de linhas de transmissão nos estados de Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. O volume de investimento previsto para isso é de R$ 990,5 milhões. 

Lote 5: o lote com a maior em extensão e potência foi arrematado pela Eletronorte por R$ 302 milhões, com deságio de 31,14% e investimentos de R$ 2,6 bilhões na construção de 1.116 quilômetros de linhas de transmissão nos estados do Ceará, Piauí, Pernambuco, Alagoas e Bahia. 

Lote 6: o lote 6 também foi arrematado pelo fundo Warehouse que deu uma oferta de R$ 284 milhões, com um deságio de 49,60%. O lote com maior valor de investimento estimado, cerca de R$ 3,4 bilhões, prevê a construção de 951 quilômetros nos estados da Bahia e Minas Gerais. 

Lote 7: a EDP arrematou o lote 7 por R$ 51 milhões, com deságio de 41,05%. A empresa terá que investir R$ 528,6 milhões em 390 quilômetros de linhas de transmissão nos estados da Bahia, Piauí e Tocantins.

Lote 8: a Brasiluz Eletrificação arrematou o lote 8 pelo valor de R$ 16,05 milhões, com deságio de 43,27%. As obras abrangem linhas de transmissão no estado do Rio de Janeiro, com investimentos de R$ 142,2 milhões. 

Lote 9: a Eletronorte foi a empresa vencedora pelo oferta de R$ 11,6 milhões, com deságio de 59,39%. O lote propõe a construção de seis quilômetros de linhas e subestações em Santa Catarina, com investimentos previstos de R$ 190,6 milhões. 

Lote 10: a COX Brasil arrematou o lote com lance de R$ 29 milhões, com deságio de 43,49%. O lote prevê a construção de 104 quilômetros de linhas no estado de São Paulo, com investimentos estimados de R$ 329 milhões.

Lote 11: o Consórcio Paraná levou o lote 11 com oferta de R$ 20,4 milhões e deságio de 42,42%. Serão construídos 75 quilômetros no Mato Grosso a partir de R$ 221,7 milhões em investimentos. 

Lote 12: a Energisa vendeu o lote com uma oferta de R$ 112,5 milhões, com deságio de 29,99%. O lote prevê a construção de linhas de transmissão nos estados do Maranhão e do Piauí, com investimentos de R$ 932,5 milhões. 

Lote 13: a EDP arrematou o lote 13 com lance de R$ 102,4 milhões e um deságio de 36,21%. O lote é composto por 461 quilômetros de linhas nos estados do Piauí, Maranhão e Tocantins., com investimentos de R$ 982,1 milhões. 

Lote 14: o fundo Warehouse venceu a disputa pelo lote 14 com a oferta de R$ 162,9 milhões e um deságio de 53,57%. A empresa terá que construir 636 quilômetros de linhas de transmissão no estado da Bahia, com investimentos de R$ 2,1 bilhões.

Lote 15: o Consórcio Olympus XVII venceu o lote 15 por R$ 154,4 milhões, com deságio de 33,5%. O lote prevê a construção de 509 quilômetros de linhas de transmissão, com R$ 1,3 bilhão em investimentos. 


Todo o conteúdo do Canal Solar é resguardado pela lei de direitos autorais, e fica expressamente proibida a reprodução parcial ou total deste site em qualquer meio. Caso tenha interesse em colaborar ou reutilizar parte do nosso material, solicitamos que entre em contato através do e-mail: [email protected].

Imagem de Henrique Hein
Henrique Hein
Atuou no Correio Popular e na Rádio Trianon. Possui experiência em produção de podcast, programas de rádio, entrevistas e elaboração de reportagens. Acompanha o setor solar desde 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal