2 de março de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,9GW

Mercado global de energia solar flutuante pode dobrar até 2031

Wood Mackenzie indica que ao menos 15 países devem ultrapassar 500 MW em instalações nos próximos anos

Autor: 26 de maio de 2023Mundo
2 minutos de leitura
Mercado global de energia solar flutuante pode dobrar até 2031

Usina solar flutuante consiste na instalação de sistemas fotovoltaicos operando sobre a superfície da água. Foto: Divulgação/Lightsource BP

O mercado global de energia solar flutuante deverá ultrapassar os 6 GW de potência instalada até 2031, apontam estimativas divulgadas pela Wood Mackenzie, uma das mais renomadas empresas de pesquisa e de consultoria do mundo.

De acordo com o estudo, o avanço das usinas solares flutuantes, consiste em instalações de sistemas fotovoltaicos operando sobre a superfície da água, ocorre por causa do grande número de projetos em desenvolvimento e que estão buscando soluções alternativas para sanar as dificuldades do mercado em atender à crescente demanda por fontes de energia limpa.

A análise da Wood Mackenzie indica que o segmento também deve avançar conforme custos de desenvolvimento de projetos forem se tornarem mais competitivos.

Atualmente, os projetos com esta tecnologia somam cerca de 3,4 GW em todo planeta, dos quais aproximadamente 90% (3 GW) encontram-se instalados na região da Ásia-Pacífico, com destaque para países como China, Coreia do Sul, Indonésia, Índia e Tailândia. 

Com quase 150 MW em projetos instalados, a Europa é o segundo maior mercado do mundo no segmento. A região é liderada pela Holanda, que é o país com maior capacidade instalada fora da Ásia. 

A previsão é que ao menos 15 países ultrapassaram a marca de 500 MW de instalações acumuladas de energia solar flutuante até 2031. Neste período de oito anos, a tecnologia também deverá apresentar um crescimento estável, com uma taxa de evolução anual de 15%. 

Henrique Hein

Henrique Hein

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como repórter do Jornal Correio Popular e da Rádio Trianon. Acompanha o setor elétrico brasileiro pelo Canal Solar desde fevereiro de 2021, possuindo experiência na mediação de lives e na produção de reportagens e conteúdos audiovisuais.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.