24 de outubro de 2021

MG ultrapassa 1 GW de potência instalada em GD solar

Dados da ANEEL apontam que o estado mineiro possui mais de 88 mil conexões operacionais

Autor: 20 de maio de 2021Brasil
MG ultrapassa 1 GW de potência instalada em GD solar

O estado de Minas Gerais superou a marca de 1 GW em GD (geração distribuída) solar fotovoltaica, segundo levantamento feito pela ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica) com base nos dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Com mais de 88 mil sistemas fotovoltaicos em residências, comércios, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos, o estado mineiro é líder em potência instalada de GD solar no Brasil.

Atualmente, a fonte fotovoltaica está presente em 844 dos 853 municípios de Minas Gerais, com mais de 120 mil consumidores de energia elétrica adeptos ao uso da tecnologia fotovoltaica.

De acordo com a ABSOLAR, desde 2012 a geração própria de energia solar já atraiu mais de R$ 5 bilhões em investimentos no estado mineiro, com geração de mais de 30 mil empregos, arrecadação de mais de R$ 955,4 milhões aos cofres públicos e redução de emissão de 767,0 mil toneladas de CO₂.

Bruno Catta Preta, coordenador estadual da ABSOLAR em Minas Gerais, destaca que o estado é referência nacional no uso da energia solar. “A tecnologia fotovoltaica representa um enorme potencial de desenvolvimento sustentável, econômico e social para os mineiros, com geração de emprego e renda, atração de novos investimentos e ajudando no combate às mudanças climáticas e na proteção do meio ambiente”.

Aprovação do PL 5829

A ABSOLAR ressalta que a aprovação do PL 5829/19, que cria o Marco Legal da GD no Brasil, será o melhor caminho para evitar retrocessos e democratizar a modalidade no país. 

Saiba mais sobre o PL 5829/19

Atualmente, 38 instituições representativas do país apoiam o PL que garantirá em lei o direito do consumidor gerar e consumir sua própria eletricidade por meio de fontes limpas e renováveis, incluindo de produtores rurais, de comércio de bens, serviços e turismo, de pequenos negócios e de defesa do consumidor.

Dentre estas entidades estão a CNS (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), o Sebrae, a CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), a Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos) e a Proteste – maior entidade de defesa do consumidor da América Latina e do Brasil.

“Por isso, é fundamental o apoio da sociedade organizada e das empresas locais no sentido de estabelecer um arcabouço legal transparente, justo e que reconheça os benefícios da energia solar na geração distribuída no País”, acrescenta Catta Preta.

Para Rodrigo Sauaia, presidente executivo da ABSOLAR, a energia solar fotovoltaica terá função cada vez mais estratégica para o atingimento das metas de desenvolvimento socioeconômico e sustentável em todos estados brasileiros. 

“A tecnologia fotovoltaica é essencial para a recuperação da economia após a pandemia, sendo a fonte renovável que mais gera empregos no planeta. Ela também ajuda a baratear a conta de luz dos brasileiros, reduzindo o uso de termelétricas fósseis, caras, poluentes, principais responsáveis pela bandeira vermelha que encarece a conta dos consumidores”, enfatiza.

Ericka Araújo

Ericka Araújo

Desde 2020, acompanha o mercado fotovoltaico. Possui experiência em produção de podcast, programas de entrevistas e elaboração de matérias jornalísticas. Em 2019, recebeu o Prêmio Jornalista Tropical 2019 pela SBMT (Sociedade Brasileira de Medicina Tropical) e o Prêmio FEAC de Jornalismo. Já atuou como repórter e apresentadora da Rádio Brasil Campinas. Formada pela PUC Campinas.

Comentar