Julho 04, 2020

Login to your account

Username *
Password *
Remember Me

Create an account

Fields marked with an asterisk (*) are required.
Name *
Username *
Password *
Verify password *
Email *
Verify email *
Captcha *
Reload Captcha
Image
Image

Projeto de lei da geração distribuída será votado em agosto, afirma Lafayette Andrada

O deputado federal Lafayette Andrada (Republicanos-MG) afirmou na última quinta-feira (25) que o marco legal da geração distribuída deve ser votado em agosto. A afirmação foi feita durante o encerramento do Fórum GD online, promovido pela ABGD (Associação Brasileira de Geração Distribuída).

“Não protocolei ainda o projeto de lei que propõe uma nova regulamentação para a GD porque achamos muito mais factível e exequível apresentá-lo como emenda substitutiva em um PL que já esteja tramitando na Casa. Foi o que acordamos com o presidente da Câmara. Além disso, o Legislativo está priorizando o andamento de projetos que se relacionem diretamente com a crise da Covid-19”, esclareceu Andrada.

Fórum ABGD

Para Marina Meyer, diretora jurídica da ABGD, a proposta deve substituir a REN 482. “O projeto de lei será integrado ao Código Brasileiro de Energia Elétrica, que está sendo criado, e cumprirá o papel que hoje cabe à Resolução Normativa 482”.

A REN 482 está em processo de revisão pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), e tem gerado discussão no setor desde a apresentação da proposta de revisão da agência.

Carlos Evangelista, presidente da ABGD, defende que é mais justo e democrático que o setor seja regulamentado por uma lei proposta e debatida no Congresso, pois trará mais segurança jurídica. “O futuro de um mercado tão importante e estratégico para o Brasil não pode ser definido por resoluções normativas de uma agência reguladora. Precisa ter a segurança jurídica que somente uma lei clara, equilibrada, justa e bem escrita pode trazer”, destacou Evangelista.

O deputado Andrada ainda esclareceu que existem outros projetos de lei que buscam solucionar o impasse da geração distribuída, porém, explicou que o texto a ser apresentado por ele obteve o consenso dos agentes do setor de energia elétrica e das diferentes correntes políticas. “Será uma proposta equilibrada, conciliando todos os lados”, afirmou.

Segundo o parlamentar, a proposta trará um novo conceito para a geração compartilhada, tornando-a mais democrática e acessível aos quase 70 milhões de consumidores de baixa renda, que pela legislação atual, têm grande dificuldade de usufruir dos benefícios da geração distribuída.



Avalie este item
(0 votos)
Última modificação em Segunda, 29 Junho 2020 19:31
Ericka Araujo

Diretora de jornalismo do Canal Solar. Formada pela PUC-Campinas, com experiência em reportagem diária, produção de conteúdo e edição e roteirização de podcast.

© 2019-2020 Canal Solar | www.canalsolar.com.br