7 de maio de 2021

Carrinho

O setor solar estava preparado para a Covid-19?

Durante a pandemia, a empresa investiu bastante nas redes sociais

Autor: 27 de agosto de 2020outubro 3rd, 2020Opinião
O setor solar estava preparado para a Covid-19?

Pelos moldes com que a crise se mostrou, a resposta imediata é não! Ninguém estava.

A pandemia é, sem dúvida, o momento mais desafiador dos negócios da Aldo Solar e da maioria das empresas que atuam nos dias de hoje. Se uma empresa não faz parte das demandas que estão sendo mais solicitadas, como a área da saúde, é possível que esteja sofrendo com as restrições impostas pelo isolamento social.

Uma análise um pouco mais profunda revela que a Aldo, desde sempre, mostra-se preparada não somente para crises, mas para crescimento também.

Uma parte desta preparação tem a base na própria história da empresa. Desde sua fundação, a Aldo passou por inúmeros planos econômicos (alguns prometiam verdadeiros milagres), inflação (em algumas épocas, os aumentos vinham da manhã para a tarde) e tudo mais que as pessoas podem imaginar.

Planejamento financeiro, associado à crença de manter os negócios no foco, sem desânimo, fez a empresa sobreviver aos percalços da história econômica brasileira e crescer. A distribuidora tornou-se especialista em fazer uma gostosa limonada de qualquer limão. O planejamento financeiro é essencial para a saúde de qualquer empresa e sempre foi um ponto fundamental.

Um alicerce desde os tempos da Kombi. Muitos sacrifícios foram feitos para que a empresa tivesse reservas e um fluxo de caixa que suportassem o próprio crescimento e as possíveis crises. A Aldo mostra-se conservadora no aspecto de planejamento financeiro e inovadora. Audaciosa mesmo, nas ações comerciais.

Durante a pandemia, a empresa investiu bastante nas redes sociais e, como característica desta prática, a interação, ainda que pela internet, levou à percepção que os negócios não pararam. Eles estavam em regiões onde as medidas de isolamento social não foram tão restritivas, ou havia negócios engatilhados. Enfim, para alguns foi mais fácil. 

Um exemplo de setor que sofre sim, mas não deixou de crescer por causa da pandemia, é o setor de energia solar, um dos principais campos de atuação da Aldo Solar. Aliás, como parte da estratégia para resistir à crise, foram realizados diversos webinars sobre o assunto e os equipamentos disponibilizados no Brasil pela distribuidora. A empresa espera que os revendedores e instaladores tenham aproveitado os últimos meses para capacitação, porque os números não mentem e o setor de energia solar cresce no país.

O mercado fotovoltaico segue crescendo exponencialmente no país. No mês passado, o Brasil ultrapassou a marca de 6 GW de potência operacional da fonte solar fotovoltaica. O número considera usinas de grande porte, pequenos e médios sistemas instalados em telhados, fachadas e terrenos.

De acordo com a ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica), a fonte já gerou mais de R$ 31 bilhões em investimentos privados no país, criando cerca de 180 mil empregos acumulados. E na geração distribuída, o Brasil superou a marca de 3 GW no mercado.

O avanço da fonte solar no país foi impulsionado no ano passado por sistemas de menor porte, geralmente instalados por consumidores no telhado de residências e estabelecimentos comerciais ou em grandes terrenos.

A Aldo tem uma participação bastante significativa no setor. A empresa já ultrapassou a marca de 86 mil geradores vendidos e continua com a política de conseguir os melhores preços em negociações diretas com os maiores fornecedores do mundo e contando sempre com os melhores revendedores e instaladores do Brasil, os clientes da empresa. Neste primeiro semestre, a divisão de negócios de informática da Aldo também cresceu 30%.

Há quatro meses, o conceito vai passar estava muito distante, mas agora ele se apresenta mais próximo da realidade. A ideia ainda está no campo da especulação, mas é cada vez mais forte a teoria de que o setor de energia solar pode ter uma grande participação na retomada da economia do próprio país, após a crise causada pela pandemia da Covid-19.

A fonte solar ainda representa menos de 2% da matriz elétrica brasileira, segundo dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), ou seja, ainda há muito o que crescer. E a Aldo quer, não apenas fazer parte, mas incentivar este crescimento. Importante para o segmento de energia solar e importante para o país.

Aldo Pereira Teixeira

Aldo Pereira Teixeira

Presidente fundador da distribuidora de equipamentos fotovoltaicos Aldo Solar, sediada em Maringá (PR). Atua há anos no setor solar, com experiência em gestão e vendas.

Comentar