25 de fevereiro de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,8GW

ONS reduz significativamente previsão de carga para janeiro

Novas estimativas apontam para uma variação de 9,1%, contra 11,1% da indicação anterior

Autor: 9 de janeiro de 2024Setor Elétrico
3 minutos de leitura
ONS reduz significativamente previsão de carga para janeiro

Imagem: Stockgiu/Freepik

O ONS (Operador Nacional do Sistema) revisou para baixo a previsão de crescimento da carga de energia elétrica em janeiro.

No final de dezembro, o órgão estimou que a carga do (SIN) Sistema Interligado Nacional cresceria 11,1% no primeiro mês de 2024, alcançando 82.865 MWmed (megawatts-médios).

Na ocasião, o diretor-geral do ONS, Luiz Carlos Ciocchi, declarou por meio de nota que as perspectivas de temperaturas elevadas, acima da média para o verão, provavelmente exigiria o acionamento de termelétricas para atender os picos de consumo.

No entanto, na última sexta-feira (5/1) o órgão comunicou ao mercado que o avanço da carga em janeiro deverá ser menor, com variação de 9,1%, atingindo 81.377 MWmed. A explicação seria, em parte, resultado do desempenho econômico, pois houve uma desaceleração no crescimento do setor de serviços e a produção industrial caiu rapidamente no final de dezembro.

“Calor, chuva, temperatura, nível de afluência e atividade econômica são questões que podem afetar a previsão de carga. Dezembro é um mês atípico, com muitas comemorações e início de férias escolares. Estas questões impactaram na carga e ela desacelerou”, disse o ONS. “O PMO (Programa Mensal da Operação) consiste em uma previsão que é revista e atualizada semanalmente. É necessário aguardar o encerramento do mês para ter dados consolidados.”

“A expansão mais elevada é projetada para o subsistema Norte, com 12,1% (7.293 MWmed); seguido pelo Nordeste, com 10,7% (13.442 MWmed); o Sudeste/Centro-Oeste, com 10,6% (46.478 MWmed), e o Sul, com 1,7% (14.164 MWmed). Os números são comparações entre os possíveis resultados de janeiro de 2024 e o mesmo mês de 2023”, diz a nota publicada no site do ONS.

Na mesma nota, o ONS divulgou as indicações de ENA (Energia Natural Afluente), indicador que mede a quantidade de chuvas que chega aos rios e alimentam os reservatórios das hidrelétricas.

Como mais de 50% da eletricidade do Brasil é gerada por hidrelétricas, esse indicador é extremamente importante para sinalizar a capacidade de atendimento à demanda de energia do país.

Segundo a entidade, ainda que as indicações de ENA estejam abaixo da média para um período úmido (dezembro a abril), a revisão atual aponta para uma melhora das afluências em comparação com as estimativas apontadas no final de dezembro.

“O subsistema Sul deve registrar o percentual mais elevado, com 114% da Média de Longo Termo (MLT), quando, na semana passada, se esperava 81% da MLT ao final de janeiro. Para as demais regiões, a ENA ao final de janeiro deve chegar aos seguintes patamares: Norte, 75% (70%) da MLT; Sudeste/Centro-Oeste, 70% (68%) da MLT, e o Nordeste, 52% (51%) da MLT”, diz o ONS.

A MLT é a média histórica calculada com base na quantidade de chuvas que alimenta a vazão dos rios.


Todo o conteúdo do Canal Solar é resguardado pela lei de direitos autorais, e fica expressamente proibida a reprodução parcial ou total deste site em qualquer meio. Caso tenha interesse em colaborar ou reutilizar parte do nosso material, solicitamos que entre em contato através do e-mail: [email protected].

Wagner Freire

Wagner Freire

Wagner Freire é jornalista graduado pela FMU. Atuou como repórter no Jornal da Energia, Canal Energia e Agência Estado. Cobre o setor elétrico desde 2011. Possui experiência na cobertura de eventos, como leilões de energia, convenções, palestras, feiras, congressos e seminários.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.