Preço do alumínio tem alta de 24% entre abril e novembro deste ano

Levantamento foi realizado pelo LME (London Metal Exchange), centro mundial para o comércio de metais industriais

O alumínio, insumo muito utilizado no setor de energia solar para fabricação de estruturas de fixação de painéis fotovoltaicos, teve alta de 24% em seu preço entre abril e novembro deste ano. É o que aponta o LME (London Metal Exchange), centro mundial para o comércio de metais industriais.

Segundo a plataforma, que serve como consulta para todas as empresas que lidam com compra e venda de matérias primas, em 1º de abril o preço do material era de U$ 1.463,50, já em 1º de novembro estava em U$ 1.820,50.

Especialistas ouvidos pelo Canal Solar, apontam que a crescente demanda e a alta recente do dólar contribuíram para esta alta de preço.

Além disso, comentaram que este aumento é responsável por impactar diretamente as mudanças no custo final de produtos comercializados por empresas do setor solar.

Segundo a Solar Group, a empresa tem negociado intensamente com os fornecedores, a fim de minimizar os impactos no custo final dos produtos vendidos pela empresa.

“Considerando a projeção do LME para 2021, a expectativa de aumento no preço da matéria-prima é em torno de 10% ao longo do ano. Caso confirme esse cenário, a Solar Group fará todos os esforços para absorver esse incremento e não alterar suas condições comerciais”, destacou Pablo Larrieux, Diretor de Marketing da Solar Group.

Roberto Caurim, CEO da Bluesun, afirmou em entrevista ao Canal Solar que o aumento do preço do alumínio impacta a produção de estruturas fotovoltaicas.

“Mês passado fechamos quase 62 toneladas de estruturas em alumínio com a Fotofix. Eles só conseguiram nos entregar porque têm contrato com a CBA (Companhia Brasileira de Alumínio) senão não conseguiria”, relatou Caurim.

Para Júlio Tavernaro, gerente comercial da Spin, essa variação é um fator histórico. O executivo ainda comentou que a alta no preço do alumínio é decorrente do período de frio, presente nos principais países estrangeiros, fornecedores da matéria prima.

“Países europeus, Rússia e EUA, por exemplo, estão, neste momento, no inverno, onde os custos de energia tendem a subir levando a um reflexo mundial nisso. Com isso há uma elevação da LME e uma elevação dos indexadores que vem a compor o custo do alumínio”, ressaltou.

Imagem de Ericka Araújo
Ericka Araújo
Head de jornalismo do Canal Solar. Apresentadora do Papo Solar. Desde 2020, acompanha o mercado fotovoltaico. Possui experiência em produção de podcast, programas de entrevistas e elaboração de matérias jornalísticas. Em 2019, recebeu o Prêmio Jornalista Tropical 2019 pela SBMT e o Prêmio FEAC de Jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal