21 de maio de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 4.98GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 10,6W

Presidente da Aldo destaca desafios do mercado solar para 2021

O fabricante lá fora está pronto para nos atender e a Aldo também está pronta para começar um 2021 maravilhoso

Autor: 6 de novembro de 2020agosto 4th, 2021Brasil
Presidente da Aldo destaca desafios do mercado solar para 2021

“Para 2021 os desafios continuam bastante expressivos”. É o que afirmou Aldo Teixeira, presidente da Aldo Solar.

O executivo participou do podcast Papo Solar e disse que o mercado fotovoltaico brasileiro deverá ainda enfrentar alguns problemas de logística internacional, mas continuará crescendo devido à sua resiliência.

“O fabricante lá fora está pronto para nos atender e a Aldo também está pronta para começar um 2021 maravilhoso, porque nós não temos dúvidas que, além de uma venda represada, que não aconteceu em 2020, ainda vem o crescimento natural que estava programado para o ano que vem. Então, hoje eu digo que crescer, pelo menos, mais 100-120% é muito tranquilo para o próximo ano”, destacou Teixeira.

No entanto, ele comentou que a logística de entrega de equipamentos via rota marítima situação continuará atrapalhando as operações do mercado brasileiro.

“Alguns indicadores mostram que o problema de rota de navio da Ásia para o Brasil permanecerá, ainda, muito delicado. As coisas podem ser imprevisíveis. Hoje, por exemplo, nós estamos recebendo uma grande carga de painéis que deveria estar na Aldo há 30 dias”, relatou.

“Não foi culpa da Aldo, do fabricante ou do exportador. Nós nos programamos e eles também, mas, simplesmente, os armadores e os donos desses navios pulavam portos ou não coletavam, não tinham contêineres e equipamentos disponíveis. Quando, de repente, o mercado aquece, até isso se organizar novamente deve se levar um tempo, e isso não vai acontecer nos próximos três meses. Então, o maior desafio para o início de 2021 continua sendo a logística internacional para você garantir o seu espaço e ter as suas mercadorias aqui disponíveis no tempo adequado”, ressaltou o presidente da Aldo.

“A Aldo está pronta para começar um 2021 maravilhoso”, diz Aldo Teixeira, presidente da empresa

Pandemia ‘acelera’ novidades no setor

Durante o podcast, Aldo Teixeira comentou que a pandemia deu um “gás” para que todas as grandes indústrias na China e em outras partes do mundo aprimorassem suas produções e lançassem novos produtos.

“Na Aldo, durante esse tempo, lançamos mais de 4 mil novos geradores. Estávamos já criando o plano A, B, C e assim vai. Fotovoltaico não é apenas um sistema no telhado ou numa instalação de solo, ele é muito maior que isso. Então, conseguimos mostrar para o mercado que você pode oferecer para o mesmo cliente quatro ou cinco sistemas de geração de energia solar para diferentes aplicações. Isso é muito expressivo, porque você sai do comodismo e vai procurar sair com novas situações, e os grandes fabricantes na Ásia também trouxeram isso para nós”, disse o executivo.

“Os módulos, por exemplo, a partir de mais algumas semanas, já começam a desembarcar aqui no Brasil, e não estou falando de painéis de 600 W, 550 W, porque esses são mais voltados para utility, para centralizadas ou essas grandes usinas que pode ser para consumo remoto. Estou falando de novos painéis de alta eficiência voltados para o nosso telhado brasileiro, para a GD (geração distribuída), e isso começa já no finalzinho desse ano, começo do ano que vem. Portanto, vem uma leva de novas placas e, consequentemente, o mercado vai dar um upgrade”, enfatizou Teixeira.

Resiliência do setor solar

O especialista ainda comentou que o mercado solar brasileiro, apesar da pandemia da Covid-19, se mostrou resiliente frente aos outros setores da economia.

“O setor é muito maduro e consolidado. O ano de 2020 seria o do crescimento de mais de três dígitos, mas com o coronavírus, obviamente, isso não aconteceu.

Entretanto, conseguimos enxergar um aumento muito exponencial em relação à 2019. Nós devemos crescer na casa de 50-60% comparando com o ano passado”, apontou.

De acordo com ele, esse crescimento em meio à pandemia demonstra que o setor fotovoltaico brasileiro não é parte do problema, é parte da solução.

“O setor garante emprego, renda, economia para as famílias e para as empresas e, principalmente, promove sustentabilidade. Falar de fotovoltaico é falar de cuidar do ar, cuidar do CO₂. Todos nós temos que estar unidos na nossa missão de levar a fonte solar a todos os brasileiros”, concluiu.

Mateus Badra

Mateus Badra

Atuou como produtor, repórter e apresentador na Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro há mais de dois anos, atuando nas editorias de Mercado e Tendências, Mobilidade Urbana, P&D e Equipamentos. Jornalista graduado pela PUC-Campinas.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.