Após 96 horas, energia é restabelecida parcialmente no Amapá

O restabelecimento ocorreu de forma parcial em Macapá, com o nível de carga do transformador alcançando 100 MW

Após três dias de apagão, o fornecimento de energia está sendo retomado parcialmente no Amapá. O estado sofre com a falta de energia desde a noite de terça-feira (3) após a explosão na subestação da capital Macapá danificar o transformador da subestação Isolux.

Segundo o MME (Ministério de Minas e Energia), o equipamento foi recuperado e conectado ao Sistema Interligado Nacional (SIN) às 5h05 de sábado (7). O restabelecimento ocorreu de forma parcial em Macapá, com o nível de carga do transformador alcançando 100 MW.

“Vamos receber ao longo do dia cerca de 50% a 60% da energia necessária para suprir as necessidades dos consumidores do estado. Diante desta limitação, a CEA fará o controle desta distribuição, atendendo prioritariamente os serviços essenciais e posteriormente os demais segmentos”, declarou Marcos Pereira, diretor presidente da CEA (Companhia de Eletricidade do Amapá).

Rodízio de energia

Com exceção dos serviços essenciais, as demais UCs (unidades consumidoras) passarão por rodízio de energia em intervalos de seis em seis horas em todo o estado.

“Os consumidores já devem estar preparados para este rodízio e tomarem as medidas de segurança e de economia de energia necessárias até que seja implantado os demais transformadores que permitirão a companhia atender de forma integral todo o estado”, explicou o presidente da CEA.

População afetada

O apagão afetou 14 das 16 cidades do estado, onde vivem cerca de 782 mil pessoas, o que representa aproximadamente 90% da população estadual. Os municípios Oiapoque e Laranjal do Jari, localizados no norte e no extremo sul, respectivamente, não foram impactados com a falta de energia.

Contratação emergencial de geração de energia

Na sexta-feira (6), foi publicada a Portaria n.º 406, em edição extra do DOU (Diário Oficial da União), autorizando a contratação, de forma célere, excepcional e temporária, de geração de energia elétrica no montante de até 150 MW, no Amapá.

Segundo o MME, a contratação será por até 180 dias ou até em prazo menor, se o CMSE (Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico) reconhecer condição satisfatória de atendimento ao estado.

Para viabilizar o atendimento elétrico ao estado, o comitê determinou, durante reunião extraordinária na sexta, que a Eletrobras Eletronorte providenciará a contratação, inicialmente, de 40 MW de geração de energia elétrica. A medida tem como faz parte de um conjunto de ações que vem sendo desenvolvidas, entre o Governo Federal e Estadual.

Imagem de Ericka Araújo
Ericka Araújo
Head de jornalismo do Canal Solar. Apresentadora do Papo Solar. Desde 2020, acompanha o mercado fotovoltaico. Possui experiência em produção de podcast, programas de entrevistas e elaboração de matérias jornalísticas. Em 2019, recebeu o Prêmio Jornalista Tropical 2019 pela SBMT e o Prêmio FEAC de Jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal