Quais são as habilitações necessárias para pilotar um drone?

É como a bicicleta. Não tem carteira, não tem leis de trânsito, mas você tem responsabilidade pelos seus fatos
Quais as habilitações necessárias para pilotar um drone
Segundo a ANAC, os órgãos de segurança pública farão a fiscalização de drones no dia-a-dia

Os drones estão cada vez mais sendo utilizados para projetar ou inspecionar a instalação de um sistema fotovoltaico. Mas, para quem for pilotá-los, é necessário seguir algumas regras.

Os operadores de drones de até 250 g são considerados licenciados, sem necessidade de possuir documento emitido pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) desde que não pretendam usar equipamento para voos acima de 400 pés.

No entanto, o cadastro dessas aeronaves com peso máximo de decolagem superior a 250 g é obrigatório.

De acordo com a ANAC, são obrigatórias as licenças e habilitações apenas para pilotos de operações com aeronaves não tripuladas das classes 1 (peso máximo de decolagem de mais de 150 kg), 2 (mais de 25 kg e até 150 kg) ou da classe 3 (até 25 kg) que pretendam voar acima de 400 pés.

Os pilotos remotos de aeronaves não tripuladas das classes 1 e 2 deverão possuir ainda o CMA (Certificado Médico Aeronáutico) emitido pela ANAC ou o CMA de terceira classe do DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo).

De acordo com Henrique Freitas, um dos responsáveis pela DJI no Brasil junto à Go Solar, da Golden Distribuidora, apesar dos drones com peso de até 250 g não precisarem de registro de voo, não significa que o piloto não tenha responsabilidade sobre aquilo que está executando.

“É como a bicicleta. Não tem carteira, não tem leis de trânsito, mas você tem responsabilidade pelos seus fatos e suas execuções. Portanto, é importante que todos os operadores sigam a legislação da ICA 100-40 (Instrução do Comando da Aeronáutica)”, enfatizou Freitas.

Ainda segundo o especialista, é obrigatório possuir seguro com cobertura contra danos a terceiros nas operações de aeronaves não tripuladas de uso não recreativo acima de 250 g (exceto as operações de aeronaves pertencentes a entidades controladas pelo Estado).

Fiscalização

Segundo a ANAC, os órgãos de segurança pública farão a fiscalização de drones no dia-a-dia. Casos de infrações configuradas como contravenção penal ou crime serão tratados por esses órgãos.

Por parte da ANAC, a fiscalização será incluída no programa de vigilância continuada e as denúncias recebidas serão apuradas administrativamente de acordo com as sanções previstas no CBA (Código Brasileiro de Aeronáutica).

Outros órgãos farão a fiscalização de acordo com os aspectos relacionados às suas competências, como utilização do espaço aéreo (DECEA) e de radiofrequência (Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações).

Penalidades previstas pela ANAC

Irregularidades em relação ao cumprimento da norma são passíveis de sanções previstas no Código Brasileiro de Aeronáutica. A ANAC poderá suspender temporariamente as operações nos casos de suspeita ou evidência de descumprimento do regulamento que impactem o nível de risco da operação.

Penalidades previstas por outros órgãos

O Código Penal prevê pena de reclusão de dois a cinco anos para quem expuser a perigo embarcação ou aeronave, própria ou alheia, ou praticar qualquer ato tendente a impedir ou dificultar navegação marítima, fluvial ou aérea.

Além disso, é tipificado a exposição de pessoas a risco, que prevê pena de detenção de três meses a um ano, ou mais se o crime for considerado mais grave, em casos em que se coloquem em perigo direto ou iminente a vida ou à saúde de terceiros.

Pela Lei, dirigir aeronave sem estar devidamente licenciado pode gerar pena de prisão simples (15 dias a três meses) e pagamento de multa. Praticar acrobacias ou fazer voos baixos, fora da zona permitida em lei, bem como fazer descer a aeronave fora de lugares destinados a essa finalidade, também pode gerar prisão simples e multa.

Imagem de Mateus Badra
Mateus Badra
Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020.

5 respostas

  1. Possuo certificado de curso de drone – CBO 341105, expedido pelo SENAR MT – apenas com este certificado eu estou autorizada a pilotar drones de classe 3?

  2. de momento nao, so se eles copiarem a FAA 100%, consulta a RBAC-E 94 e MCA 56-2, drones ate 250gramas nao precisam de nada, pro fpv “MCA 56-2/2020 13/32 NOTA: A utilização de óculos FPV por si só caracteriza uma operação BVLOS. Dessa forma, sendo necessário utilizar tal equipamento, a utilização de um Observador de Aeromodelo torna-se obrigatória” para mapas, DECEA: “Aerolevantamento: é obrigatória a autorização do Ministério da Defesa” e para um melhor entendimento de cadastros entre outros https://www.gov.br/anac/pt-br/assuntos/drones/registros-e-certificados-de-drones.
    de todos modos dizem algo sobre rpa 3 mas nao tem nada certo, so ligando pra anac pra ver se tem a sorte de alguem saber la.

  3. Eu,gostaria de saber se preciso fazer algum tipo de prova para obter,abilitação para operar objetos não tripulados, uma vez, que,sou Piloto de avião.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal