Rede de laboratórios investe em GD solar e deve economizar R$ 335 mil por ano

Segundo a Voltxs, os investidores ganham com taxas de retorno mais atrativas que o mercado de capitais tem oferecido e o laboratório Labchecap ganha com economia alcançada

A rede de laboratórios de análises clínicas Labchecap, localizada em Salvador (BA), vai economizar cerca de R$ 27.960 mensais com custos de energia elétrica. A economia será possível graças a implantação de usina solar fotovoltaica dedicada ao atendimento das 48 unidades da rede de laboratórios e imagem.

Segundo a empresa, a economia anual será de aproximadamente R$ 335.567, o que equivale a utilizar energia o ano inteiro e pagar apenas o equivalente a pouco mais de 8 meses, considerando o gasto antes da implantação da planta fotovoltaica.

De acordo com Maurício Bernardino, CEO na Labchecap, com a implantação da usina a empresa terá uma redução nas suas contas através da produção de energia limpa, além de seguir com a estratégia de sustentabilidade do laboratório.

“A sustentabilidade está nos nossos valores. Quando falamos sobre isso falamos também sobre a preservação dos recursos naturais. Utilizar a energia solar para alimentar as nossas unidades foi uma iniciativa que, além de gerar redução de custo, tem impacto ambiental para diminuir o efeito do consumo das ações mais tradicionais. Acreditamos que isso é algo sustentável e está alinhado com os pensamentos modernos. Estamos bastante felizes com isso”, comenta Bernardino.

O sistema fotovoltaico, construído em regime de contrato built-to-suit, possui 640 kWp e vai produzir 1,44 GWh por ano. De acordo com a rede de laboratórios, a planta possui energia suficiente para atender a 100% das 36 unidades do Labchecap.

Rede de laboratórios investe em GD solarNum contrato firmado com a Voltxs Energia, a rede de laboratórios passa a usufruir de energia solar fotovoltaica

Segundo a Voltxs Energia, empresa responsável pelo desenvolvimento do projeto, o sistema de geração de energia conta com 1.580 módulos fotovoltaicos mono-PERC da Trina Solar modelo 405Wp e nove inversores SG50CX Sungrow, com garantias de funcionamento por mais de 10 anos.

Rodrigo Oliveira Gordilho, engenheiro civil e supervisor de obras da Voltxs, comenta que, mesmo com a pandemia, a obra foi concluída no prazo. “Devido às orientações de isolamento decorrentes da pandemia, houve uma paralisação parcial das obras. Todavia, conseguimos conectar a usina dentro do previsto sem maiores transtornos”.

Parceria com investidores privados

O Labchecap não precisou investir na construção e implantação da usina solar, já que o projeto foi desenvolvido em parceria com investidores privados que assumiram todos os custos envolvidos no empreendimento em troca de uma fidelização contratual de longo prazo.

“Apesar da parceria, contatamos algumas empresas que ofertam o serviço para implantação do projeto fotovoltaico no mercado. Quando nós analisamos tanto a proposta comercial, como também a retaguarda técnica e o portfólio dessas empresas, a credibilidade dos executivos da Voltxs foi uma combinação de proposta comercial e técnica que nos motivou a seguir com o projeto”, conta Bernardino.

Segundo a Voltxs, os investidores ganham com taxas de retorno mais atrativas que o mercado de capitais tem oferecido e o laboratório Labchecap ganha com economia alcançada.

 

Imagem de Ericka Araújo
Ericka Araújo
Head de jornalismo do Canal Solar. Apresentadora do Papo Solar. Desde 2020, acompanha o mercado fotovoltaico. Possui experiência em produção de podcast, programas de entrevistas e elaboração de matérias jornalísticas. Em 2019, recebeu o Prêmio Jornalista Tropical 2019 pela SBMT e o Prêmio FEAC de Jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal