21 de abril de 2021
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 3,29 GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 5,35 GW

Carrinho

A cada R$ 1 investido em solar, setor devolve mais de R$ 3 em benefícios

Segundo Rodrigo Sauaia, CEO da ABSOLAR, o cálculo foi realizado com base em ganhos sociais e econômicos

Autor: 2 de março de 2021Brasil
A cada R$ 1 investido em solar, setor devolve mais de R$ 3 em benefícios

Para cada R$ 1 investido em sistemas fotovoltaicos de pequeno e médio portes, o setor solar devolve mais de R$ 3 em ganhos sociais e econômicos aos brasileiros.

O levantamento foi realizado pela ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica) a partir dos dados de investimentos realizados na área desde 2012.

Segundo a associação, o estudo considerou os crescimentos de arrecadação dos governos federal, estaduais e municipais decorrentes dos aportes em GD (geração distribuída) solar, a criação de novos empregos e a geração de renda no Brasil com os negócios e projetos desenvolvidos no período, entre outros indicadores.

“Cabe dizer que tais cálculos se referem a parte dos ganhos econômicos e sociais, mas tem outro conjunto importantíssimo de vantagens que são trazidas pela GD, que são os benefícios ambientais – não incluídos nessa análise diretamente”, ressaltou Rodrigo Sauaia, CEO da ABSOLAR. 

Para o executivo, existem ainda os ganhos elétricos e energéticos, quando se leva em consideração que a energia gerada pelos sistemas fotovoltaicos está ajudando a aliviar a operação do sistema, a reduzir perdas, adiar os investimentos em novas usinas, em nova infraestrutura de transmissão e até mesmo de distribuição, que seriam todos pagos e rateados pelos consumidores. 

“Esse número de 3 para 1 tem potencial para ser ainda maior. Além dos benefícios que mencionei, temos todos os ganhos ambientais, com o alívio na pressão dos recursos hídricos, com a redução de gases de efeito estufa e redução na emissão de materiais poluentes e particulados que prejudicam a saúde e oneram os custos do sistema – pagos e rateados por toda a sociedade”, apontou Sauaia. 

“Ademais, é uma tecnologia que pode ser instalada em áreas construídas, quer dizer, sem usar o solo produtivo para deixar com que essas áreas sejam aproveitadas para gerar riquezas de outras formas. Por outro lado, pode ser instalada em terrenos improdutivos, que não seriam apropriados para agricultura, pecuária e outras finalidades”, acrescentou. 

Ainda de acordo com o especialista, os investimentos em solar impactam positivamente o desenvolvimento do setor elétrico brasileiro. “Para além da economia direta com a conta de energia, os sistemas solares representam, primeiramente, investimentos privados feitos pelos próprios consumidores em usinas que vão ajudar a abastecer a matriz elétrica do país, contribuindo, portanto, com a infraestrutura de energia elétrica nacional”.

“Quando pensamos nos ganhos que a solar pode trazer, o primeiro que vem à mente é a redução nos gastos de energia elétrica dos consumidores que investem na tecnologia diretamente. Mas é importante entender que a geração fotovoltaica distribuída traz uma série de outros benefícios, não somente para o setor elétrico, mas para a sociedade brasileira”, destacou.

“São aportes que também movimentam empresas e geram emprego de qualidade para o Brasil. Sendo assim, percebemos que existe um ganho social e econômico, que está tanto diretamente nessas movimentações e investimentos, quanto indiretamente gerando arrecadação para o poder público, seja sobre a folha salarial das pessoas ou sobre os equipamentos, serviços e faturamento das companhias”, acrescentou Sauaia. 

Mateus Badra

Mateus Badra

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Experiência como produtor, repórter e apresentador em diferentes veículos de comunicação: mídia impressa, online e televisiva.

Comentar