Agricultor investe em solar e tem economia de 85% no gasto com energia

Produtor rural do interior de SP implantou uma usina para abastecer seu sistema de irrigação por gotejamento em tubos PVC
3 minuto(s) de leitura
05-03-21-canal-solar-Agricultor investe em solar e tem economia de 85% no gasto com energia

Em busca de economia, um agricultor de Monte Alto, região de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, implantou uma usina fotovoltaica em sua fazenda para abastecer um sistema de irrigação por gotejamento em tubos PVC.

Segundo Rafael Santos, desenvolvedor de negócios/comercial da Asellus, empresa responsável pela execução do projeto, a planta possui potência instalada de 54,27 kWp. Ao total, foram utilizados 162 painéis policristalinos da BYD de 335 W e um inversor Refusol de 40 kW. 

“Para a conexão com a rede da distribuidora CPFL Paulista foi necessário a adequação do padrão de entrada para C5, além da substituição de toda a rede secundária da propriedade, que estava muito obsoleta, para poder receber a energia produzida pelo sistema. O cronograma de implantação levou aproximadamente 90 dias”, disse Santos.

“Atualmente, a usina produz em média 90 MWh/ano, 14% a mais que a necessidade do cliente, proporcionando um payback de quatro anos – com taxa de retorno de investimento de 30% por ano – e uma redução de 85% no gasto com energia. O resultado é mais que o esperado para o mesmo, pois, além ter essa economia, tal programa energético oferece uma energia limpa e sustentável, o que fortalece a marca dele no mercado”, destacou o executivo.

“Estou muito satisfeito com o resultado, pois me ajudou bastante na conta de luz no final do mês. Gastávamos em média R$ 4 mil reais, hoje pagamos o mínimo de cada relógio. Já vai fazer um ano que está em funcionamento o projeto e estou muito feliz”, ressaltou o produtor Marcelo Quadre. 

Santos ainda destacou que o sistema fotovoltaico é essencial para o agricultor, pois ele gasta muito energia em tempo de seca, já que precisa ligar o sistema de irrigação. “A planta solar é importante para compensar a média dele de consumo da unidade. O resultado disso será a margem do produto que o mesmo vende ao público”.

“Ele planta, cultiva, colhe, processa as frutas e entrega na Ceasa ou direto aos supermercados. Ou seja, continuará vendendo no preço que já vende, porém estará com uma margem maior de lucro, já que o custo de eletricidade, que representa muito no valor do produto, será reduzido”, completou o desenvolvedor de negócios/comercial da Asellus.

Foram utilizados 162 painéis policristalinos da BYD de 335 W e um inversor Refusol de 40 kW

Sobre o sistema de irrigação

Rafael Santos ainda deu detalhes sobre como é o processo de irrigação feito por Quadre. “O cliente cultiva frutas cítricas com sistema de irrigação por gotejamento, faz a colheita e beneficia a produção em uma galpão provido de máquinas e equipamentos que seleciona as frutas, higieniza e faz o polimento para melhoria da estética das mesmas para posterior comercialização nas redes de supermercados”.  Segundo ele, essa operação consumia em média 78 MWh/ano a um custo aproximado de R$ 38 mil, considerando tarifa subsidiada por ser produtor rural. 

Imagem de Mateus Badra
Mateus Badra
Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal