26 de fevereiro de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,8GW

ANEEL abre consulta pública para reduzir valor das bandeiras tarifárias

Corpo técnico da Agência sugere redução de até 36,9% nos valores da cobrança adicional da conta de luz

Autor: 22 de agosto de 2023setembro 4th, 2023Conta de luz
3 minutos de leitura
ANEEL abre consulta pública para reduzir valor das bandeiras tarifárias

Foto: ANEEL/Divulgação

A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) decidiu abrir uma consulta pública para recolher contribuições da sociedade civil e de agentes do sistema elétrico para definir os valores que serão aplicados para as bandeiras tarifárias de 2024.   

A decisão foi tomada, nesta terça-feira (22), em reunião da diretoria do órgão regulador. Os interessados poderão encaminhar suas sugestões a partir desta quarta-feira (23). O prazo limite para o envio das contribuições é até 6 de outubro.  

A decisão pela abertura da consulta pública é fruto de uma recomendação do corpo técnico da própria Agência, que sugeriu uma redução no valor das tarifas adicionais da conta de luz para o ano que vem. 

Os profissionais da ANEEL avaliam que a redução seria possível graças ao cenário mais favorável de 2023, com o crescimento da oferta de energia gerada por fontes renováveis, fim dos contratos de usinas negociadas no leilão emergencial e redução dos custos de contratos sob gestão das distribuidoras.

A sugestão foi para que todos os patamares da taxa adicional cobrada na conta de luz passassem pelos seguintes reajustes:

  • Bandeira verde: segue sem cobrança adicional;

  • Bandeira amarela: redução de 36,9%, passando de R$ 2,99 para R$ 1,88 a cada 100 kWh;

  • Bandeira vermelha 1: redução de 31,3%, passando de R$ 6,50 para R$ 4,46 a cada 100 kWh;

  • Bandeira vermelha 2: redução de 19,6%, passando de R$ 9,79 para R$ 7,87 a cada 100 kWh;

Bandeiras tarifárias

Criada pela ANEEL em 2015, a bandeira tarifária é um sistema que aplica uma cobrança adicional na conta de luz sempre que ocorre um aumento do custo da produção de energia no país. 

O objetivo é fazer com que o acréscimo pague o uso mais intenso das usinas termelétricas e o funcionamento é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em razão das condições de geração.

Quando a produção nas usinas hidrelétricas está favorável, aciona-se a bandeira verde, sem acréscimos na tarifa. Em condições ruins, podem ser acionadas a bandeiras: amarela, vermelha 1 ou vermelha 2. 

Vale lembrar que os valores são atualizados todos os anos e levam como cálculo base parâmetros como: estimativas de mercado, inflação, projeção de volume de usinas hidrelétricas e histórico de operação do SIN (Sistema Interligado Nacional). 

Henrique Hein

Henrique Hein

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como repórter do Jornal Correio Popular e da Rádio Trianon. Acompanha o setor elétrico brasileiro pelo Canal Solar desde fevereiro de 2021, possuindo experiência na mediação de lives e na produção de reportagens e conteúdos audiovisuais.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.