Barreira dos 500W é rompida no mercado solar do Brasil

No começo desse mês, os módulos de 535W da JA Solar foram disponibilizados para venda no país
Barreira dos 500W é rompida no mercado solar do Brasil

Em setembro do ano passado, profissionais do mercado fotovoltaico brasileiro receberam a notícia de disponibilidade de módulos de 500W no país.

Na mesma época, fabricantes anunciaram o início da produção de painéis fotovoltaicos com potência superior a 500W.

Agora, o mercado solar brasileiro recebe o primeiro painel fotovoltaico com potência superior a 500W. No começo desse mês, os módulos de 535W, da série DeepBlue de série 3.0,  da JA Solar foram disponibilizados para venda no país. 

A distribuição dos módulos no Brasil está sendo feita em parceria com diversas distribuidoras de equipamentos fotovoltaicos, entre elas a Ecori Energia Solar

De acordo com Rodrigo Matias, diretor comercial da Ecori, a empresa montou kits com os microinversores compatíveis de maior potência no mercado brasileiro, como, por exemplo,  o microinversor APsystems 1500W QS1A. 

“É importante nesse momento de retomada no crescimento exponencial do mercado continuarmos com nosso forte trabalho de desenvolvimento de fornecedores e produtos para entregar as melhores soluções. Com a chegada desses módulos ao nosso portfólio criamos mais uma excelente opção que fortalece ainda mais nossa premissa de sempre ofertar valor agregado”, destaca Matias.

Segundo a JA Solar, o modelo lançado na China em outubro de 2020 oferece vantagens de maior entrega de energia. Sua composição é de células mono-PERC com a tecnologia multi busbar (MBB), com 144 células (haf-cell), potência STC de 535W e eficiência máxima de 21,3%.

Painel obtém certificação na Coreia do Sul

Os módulo monofaciais da DeepBlue de série 3.0 obteve a primeira certificação de KS para painéis com base em wafers de 182 mm x 182 mm. Esta certificação significa que o produto obteve aprovação para o mercado fotovoltaico da Coreia do Sul.

O DeepBlue 3.0 foi lançado em maio de 2020. Desde a sua primeira entrega em outubro de 2020, o produto foi enviado para uma série de mercados na América, Europa, Ásia, África e tem sido amplamente utilizado em usinas fotovoltaicas de larga escala montadas no solo, sistemas fotovoltaicos instalados em telhados, usinas de integração solar-pesqueira e estacionamentos fotovoltaico.

Imagem de Redação do Canal Solar
Redação do Canal Solar
Texto produzido pelos jornalistas do Canal Solar.

4 respostas

  1. Mesmo com os altos encargos que estamos submetidos, a tendência é que esse custo caia rapidamente. E até o final de 2021 é muito provável que superemos os 600W. Mesmo com toda incompetência de nossos governantes, a energia fotovoltaica crescerá cada vez mais.

  2. Se fosse mais acessivel a todos brasileiros não teríamos mais racionamento não dependeriamos de termoelétricas que encarecem a energia mas o que importa ė o lucro para as distribuidoras

  3. Deverá chegar ao mercado nacional, custando a bagatela de aproximadamente R$ 2500,00 reais cada painel.
    Afinal de contas, a “carga tributária” no Brasil é muito alta, o que sempre eleva o preço para o consumidor final.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal