4 de março de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,9GW

Bonö atinge 150 MW comercializados com mais de mil projetos entregues

Empresa faturou R$ 300 milhões em 2022 e emprega mais de 500 pessoas diretamente

Autor: 24 de março de 2023março 27th, 2023Mercado
3 minutos de leitura

A Bonö Fotovoltaico, empresa de engenharia e projetos de geração de energia solar para os mercados corporativo e agronegócio, acaba de completar sete anos e mais de mil projetos realizados, com cerca de 150 MW comercializados de energia solar em todo o Brasil.

No ano passado, o faturamento gerencial da empresa teve alta de cerca de 125%, atingindo quase R$ 300 milhões, ante R$ 133 milhões em 2021. A potência injetada no último ano também dobrou em relação a 2021, saltando de 42,3 MW para 86,7 MW em 2022.

Vitor Ferrari, diretor Executivo da Bonö Fotovoltaico destaca que o foco da empresa sempre foi inovar o jeito de fazer as coisas. “Nestes sete anos, construímos uma reputação de autoridade e expertise no mercado solar. Agora, sentimos a necessidade de olhar ainda mais para nossos colaboradores, de uma forma mais organizada, planejada e assertiva”

“A valorização de boas práticas é muito importante para nós e, por isso, queremos um ambiente saudável e colaborativo para que a sustentabilidade do nosso negócio se mantenha e isso seja refletido nas ações com nossos clientes e parceiros”, conta Ferrari.

Recentemente, a empresa concluiu seu maior e mais expressivo projeto solar, e o maior da América Latina: a construção da usina solar do Caximba, em Curitiba (PR) de 4,55 MW, que vai gerar cerca de 2 mil toneladas de compensação de gás carbônico por ano.

Trata-se de um sistema fotovoltaico instalado em cima de um aterro sanitário desativado da cidade e que contou com parcerias entre a prefeitura da capital paranaense, entidades do governo alemão e órgãos internacionais de desenvolvimento sustentável das cidades ao redor do mundo, o C40 Cities.

Para Marcelo Abuhamad, diretor Comercial do Grupo Bonö Energia, a complexidade do empreendimento se dava por ser o maior projeto solar da América Latina sobre um aterro sanitário.

“Além do obstáculo envolvendo a instabilidade do solo, a empresa precisou lidar com o grande volume de chuvas que ocorreu no final do ano, mas felizmente deu tudo certo”, explicou Abuhamad.

O executivo ainda destaca que um dos diferenciais desta obra foi utilizar mão de obra local. Para isso, a Böno se comprometeu a contratar apenas colaboradores da região, o que foi um grande desafio.

“Para nós foi uma alegria e um orgulho poder participar do projeto inédito do Caximba, idealizado pelo prefeito de Curitiba, Rafael Greca. Desenvolvemos um sistema construtivo especial que acompanhasse o comportamento atípico do solo e que, ao mesmo tempo, suportasse e sustentasse a estrutura fotovoltaica. É uma obra complexa, muito bem estruturada e uma das melhores da Bonö Fotovoltaico ao longo da história”, concluiu Abuhamad.

Ericka Araújo

Ericka Araújo

Head de jornalismo do Canal Solar. Apresentadora do Papo Solar. Desde 2020, acompanha o mercado fotovoltaico. Possui experiência em produção de podcast, programas de entrevistas e elaboração de matérias jornalísticas. Em 2019, recebeu o Prêmio Jornalista Tropical 2019 pela SBMT e o Prêmio FEAC de Jornalismo.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.