CCEE aponta ampla disponibilidade de lastro de energia incentivada em 2021

O estudo, que está em sua oitava edição, apontou uma sobra de 1.085 MW médios para 2021, além de uma folga na oferta para o restante de 2020

A CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica) divulgou um levantamento que mostra a disponibilidade de lastro de energia incentivada para atender a demanda dos consumidores especiais.

O estudo, que está em sua oitava edição, apontou uma sobra de 1.085 MW médios para 2021, além de uma folga na oferta para o restante de 2020. A expectativa é que até dezembro sejam acrescentados 1.237 MW médios.

“Este montante ofertado pode crescer ainda mais, caso alguns projetos antecipem sua entrada em operação para o mercado livre e na revisão da REN 843/2019, que está em consulta pública”, disse Carlos Dornellas, gerente executivo de Segurança de Mercado & Informações da CCEE.

Com relação à oferta de lastro de energia incentivada para 2021, o levantamento indicou que pode ampliar ainda mais a partir de janeiro do ano que vem, quando os consumidores especiais com demanda entre 1,5 MW e 2 MW se tornarão livres. O potencial de energia para liberação relacionada a esta mudança é de 559 MW médios.

“Tratamos como potencial pois, nas outras reduções de requisitos, os agentes liberaram cerca de 24% e 14% da energia especial contratada. A decisão de trocar o tipo de energia de incentivada para convencional, nestes casos, é opcional aos agentes, que avaliam suas necessidades e benefícios”, comentou Dornellas.

No panorama da evolução de energia incentivada, o estudo apontou que a classificada como especial saltou de 9.112 MW médios, em junho de 2019, para 10.114 MW médios, no mesmo mês de 2020. Já em relação à energia incentivada total, verificou-se no mesmo período um aumento de 12.030 MW médios para 13.057 MW médios, registrando um crescimento de 8,5%.

Sobre a pesquisa

A CCEE faz um balanço dos dados da migração de unidades consumidoras classificadas como especiais até junho de 2020, que saltou de 13.400, em janeiro, para 15.139, em junho.

Nesse contexto, não foi considerado o MVE (Mecanismo de Venda de Excedentes) extraordinário de agosto para vigência de 12 meses a partir de janeiro de 2021. O processamento realizado para os últimos três meses de 2020, que transacionou 510 MW médios, também não foi contemplado nos resultados para este ano.

Imagem de Mateus Badra
Mateus Badra
Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal