22 de junho de 2021

Carrinho

Cenário econômico torna mercado livre de energia mais atrativo, apontam especialistas

“Os sinais econômicos mostram e temos que perceber o que os players estão fazendo”, diz Dante

Autor: 30 de julho de 2020outubro 2nd, 2020Brasil
Cenário econômico torna mercado livre de energia mais atrativo, apontam especialistas

O mercado livre de energia registrou ao longo deste ano a maior média mensal de adesões de consumidores desde 2016, segundo dados da CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica). Analisando este cenário, Pedro Dante, advogado especialista do setor de energia do escritório Demarest, afirmou, durante webinar realizado pelo Canal Solar, que fechar um contrato no ACL (Ambiente de Contratação Livre) está sendo muito atrativo para os consumidores.

“Essa oportunidade no mercado livre vem com o impacto no preço da tarifa. Como tivemos uma redução na demanda, está sobrando energia pela retratação da indústria por conta da Covid-19. Quando o consumidor vai para o ACL, ele tem uma previsibilidade. Portanto, a realidade econômica está impulsionando as empresas a procurarem parceiros no mercado livre”, explicou Dante.

Bernardo Marangon, especialista em mercados de energia elétrica e diretor da Exata Energia, também participou do webinar e destacou que vale a pena migrar para o mercado livre. “A redução na demanda faz com que o preço caia. Então, faz sentido essa migração. Você tem uma parte burocrática, mas pode ser que você tenha um investimento pequeno na adequação da conexão. Obviamente, o sinal econômico acaba impulsionando as ações e temos visto um crescimento nesse movimento”.

De acordo com o ele, a medida que o CAPEX (Capital Expenditure – Custo) vai diminuindo, os projetos pequenos começam a fazer mais sentido. “Há uma ponte mais fácil para sair da geração distribuída e ir para o ACL. Hoje, a ponte que vejo é o próprio consumidor do mercado livre fazer o investimento na energia solar dentro da casa dele, evitando custo de conexão”, comentou Marangon, enfatizando que a auto produção e o investimento próprio do consumidor vão fazer a diferença nesse início no mercado livre.

Outro ponto destacado pelo especialista foi a postergação dos leilões. “Estamos vendo que os leilões de energia já foram postergados. Se por acaso eles ocorrerem, vão ter uma demanda baixa. Isso, consequentemente, gera preços baixos. Portanto, o único caminho que esses players têm para viabilizar os projetos que estavam sendo desenvolvidos é por meio do mercado livre”.

Energia solar no ACL

Segundo Marangon, a energia solar tem entrado no mercado livre através de grandes projetos por modelagens de auto produção. “Porque isso? O princípio da auto produção é que você está fazendo um investimento na geração, e você não tem que pagar alguns encargos que foram feitos para incentivar esse tipo de investimento. Esse encargo, no caso, está dentro da tarifa do uso de distribuição. Então, quando você é auto produtor e consome energia, você recebe um desconto na tarifa de distribuição. Esse desconto é referente a esses encargos setoriais que você não precisa pagar”, explicou.

O especialista ainda enfatizou que a energia fotovoltaica é o futuro do Brasil, e esse futuro vai passar pelo ACL. “A solar é um vírus que vai encontrar caminhos para continuar crescendo”.

Pedro Dante também destacou que os grandes geradores de energia estão procurando consumidores, que na sua maioria já estão no ACL, por modelagens de alta produção. “É um movimento natural. Os sinais econômicos mostram e temos que perceber o que os players estão fazendo”, concluiu.

 

Mateus Badra

Mateus Badra

Atuou como produtor, repórter e apresentador na Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro há mais de um ano, atuando nas editorias de Mercado e Tendências, Mobilidade Urbana, P&D e Equipamentos. Jornalista graduado pela PUC-Campinas.

Comentar