28 de janeiro de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 4.63GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 8,83GW

Cientistas apontam estratégias para reciclagem de painéis solares

Além disso, os cientistas enfatizaram que os impactos ambientais e econômicos

Autor: 24 de agosto de 2020outubro 3rd, 2020Mundo
Cientistas apontam estratégias para reciclagem de painéis solares

Pesquisadores do NREL (Laboratório Nacional de Energia Renovável) conduziram o primeiro estudo global sobre as abordagens mais promissoras para gerenciamento de fim de vida útil de módulos solares.

De acordo com a pesquisa, os cientistas se concentraram na reciclagem de silício cristalino, material usado em mais de 90% dos sistemas fotovoltaicos instalados em uma forma muito pura.

“É preciso muito investimento para tornar o silício puro. Para um módulo, você pega essas células de silício, lacra-as em um pacote à prova de intempéries, onde elas tocam outros materiais, e espera de 20 a 30 anos. O tempo todo, a tecnologia esta melhorando. Como podemos então recuperar esse investimento em energia e material da melhor maneira para o meio ambiente?”, disse Timothy Silvermanm, co-autor da pesquisa.

Os autores descobriram que alguns países têm regulamentos de reciclagem de painéis solares em vigor, enquanto outros estão apenas começando a considerar soluções. Atualmente, somente uma instalação de reciclagem dedicada ao PV de silício cristalino existe no mundo, devido à quantidade limitada de resíduos que está sendo produzida.

Investimento em P&D

Analisando este cenário, os pesquisadores recomendaram P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) para reduzir custos de reciclagem e impactos ambientais, maximizando a recuperação de material.

Eles sugerem ainda focar em silício de alto valor ou wafers de silício intactos. O último foi apontado como alcançável, mas frequentemente quebram e provavelmente não atenderiam aos padrões exigentes de hoje para permitir a reutilização direta. Já para recuperar o silício de alto valor, os mesmos destacam a necessidade de P&D de processos de purificação.

Além disso, os cientistas enfatizaram que os impactos ambientais e econômicos das práticas de reciclagem devem ser explorados usando análises técnico-econômicas e avaliações do ciclo de vida.

“Devemos ser bons administradores desses materiais e desenvolver uma economia circular para módulos fotovoltaicos”, ressaltou Garvin Heath, cientista sênior da NREL especializado em ciência da sustentabilidade.

A pesquisa aponta que encontrar maneiras de evitar desperdícios é uma parte importante da equação, incluindo como fazer os painéis solares durarem mais, usar materiais com mais eficácia e produzir eletricidade com mais eficiência.

“Precisamos de pesquisa e desenvolvimento porque o acúmulo de resíduos vai se aproximar de nós. Muito parecido com o crescimento exponencial das instalações fotovoltaicas, ele parecerá se mover lentamente e então se acelerar rapidamente. Quando houver desperdício suficiente para abrir uma instalação dedicada a PV, precisamos já ter estudado o processo adequado”, concluiu Timothy Silvermanm.

Mateus Badra

Mateus Badra

Atuou como produtor, repórter e apresentador na Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro há mais de um ano, atuando nas editorias de Mercado e Tendências, Mobilidade Urbana, P&D e Equipamentos. Jornalista graduado pela PUC-Campinas.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.