4 de março de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,9GW

Com crise do gás russo, solução integra solar e térmica para auxiliar empresas

Módulo PVT Neptune é um dos últimos lançamentos da AE Solar

Autor: 28 de fevereiro de 2023Tecnologia e P&D
3 minutos de leitura
Com crise do gás russo, solução integra solar e térmica para auxiliar empresas

Hospitais especializados em reabilitação em Narechen, Bulgária. Foto: Reprodução

O conflito entre Rússia e Ucrânia, em que a capital russa cortou o fornecimento de eletricidade das nações europeias, culminou em uma crise global de energia.

Assim, devido à pressa da Europa em reduzir ao máximo a sua dependência do gás russo, a solar se encontra como uma alternativa, principalmente para projetos residenciais e comerciais.

No contexto europeu, em que a tecnologia térmica é indispensável, inclusive para a sobrevivência, o módulo Neptune apresenta-se como solução, a partir de sua eficiência na geração de energia.

O PVT Neptune é um dos últimos lançamentos da fabricante alemã de módulos Tier 1 AE Solar. Com tecnologia híbrida, a solução produz energia elétrica e térmica a partir da radiação solar.

Instalação fotovoltaica com módulos PVT Neptune da AE Solar. Foto: Reprodução

A energia térmica é produzida a partir da absorção do calor gerada no interior do painel. “Trata-se de uma melhor eficiência energética para hospitais, hotéis, piscinas, residências e qualquer local que necessite de aquecimento”, afirmou a fabricante.

De acordo com a AE Solar, a solução pode produzir até 10% mais rendimento elétrico em comparação com o módulo fotovoltaico padrão, além de coletar as perdas de calor para fins de aquecimento.

Módulos Neptune em hospitais

Em Narechen, na Bulgária, o Hospital SBR, especializado em reabilitação, recebeu a instalação de módulos fotovoltaicos PVT Neptune. Cada painel possui 380 Wp de potência elétrica e 980 Wp de potência térmica, com payback inferior a três anos.

Tecnologia híbrida também permite o uso de aquecimento em piscinas. Foto: Reprodução

A ESCO, empresa de tecnologia com foco no desenvolvimento de negócios relacionados à geração e ao uso racional e eficiente de recursos hídricos e energéticos, é a responsável pelo projeto.

ILKO Yotzev, CEO da ESCO e da Water & Energy Savings, ressalta a importância do projeto para os beneficiados, já que com a solução não existe a necessidade do uso de gás russo.

“O gerente do hospital de reabilitação, em lágrimas, me agradeceu repetidas vezes dizendo: obrigado Sr. Yotzev, você salvou o hospital da falência”, relata o empresário.

Sobre a tecnologia híbrida dos módulos

Os painéis térmicos híbridos são uma combinação da tecnologia fotovoltaica e térmica. Assim, a estrutura típica dos módulos inclui uma camada de isolamento no topo com as células solares abaixo deles e abaixo dos painéis.

O coletor de calor absorve a energia solar restante, que não é convertida em energia elétrica, e transmite essa eletricidade para uma bobina hidrônica onde um fluido de transferência de calor é aquecido.

 

 

Stella Miranda

Stella Miranda

Produtora do Canal Responde e do Solar em 60. Possui experiência em produção de podcast, elaboração de matérias jornalísticas, entrevistas e produção para rádio. Graduanda em Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica de Campinas.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.