29 de fevereiro de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,9GW

Comerc Energia e Itaú firmam parceria para migração de clientes ao mercado livre

Clientes do banco conectados em média ou alta tensão poderão negociar diretamente a compra de energia elétrica

Autor: 2 de janeiro de 2024Parcerias
3 minutos de leitura
Comerc Energia e Itaú firmam parceria para migração de clientes ao mercado livre

A migração passa a ser uma opção com a aprovação das novas regras para a abertura do mercado livre de energia. Imagem: Envato Elements

A Comerc Energia e o Itaú Unibanco anunciam parceria comercial para oferta e distribuição de serviços de migração do mercado cativo para o mercado livre. Inicialmente, os serviços estarão disponíveis para clientes do banco ligados em média ou alta tensão que poderão migrar e negociar diretamente a compra de energia elétrica.

O acordo entre as companhias se concretiza em um cenário de abertura do mercado livre de energia, acelerada pela nova regulação em vigor desde 1º de janeiro de 2024.

De acordo com a CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica), a ampliação do acesso ao modelo de contratação de energia para consumidores do Grupo A, que inclui pequenas e médias empresas (PMEs), permitirá que potenciais 165 mil consumidores ingressem no ACL (Ambiente de Contratação Livre).

O escopo inicial da parceria entre a Comerc Energia e o Itaú prevê a oferta dos novos serviços aos clientes do banco que recebem energia em tensão igual ou superior a 2,3 kV – conforme estipulado pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) – e com consumo de energia em torno de R$ 8 mil por mês.

“A decisão de ‘migrar’ para o mercado livre passa por um apoio consultivo, de relação de confiança e reputação. Além disso, a solidez do vendedor de energia é um aspecto importantíssimo. A Comerc se uniu a um parceiro que reúne esses atributos, uma das maiores instituições financeiras da América do Sul, o parceiro ideal”, avaliou Andre Dorf, CEO do Grupo Comerc Energia, que faz a gestão de cerca de 17% dos consumidores no segmento, equivalentes a 6% da energia consumida no Brasil.

Para Eric Altafim, diretor de Mesas e Produtos do Itaú Unibanco, a parceria representa um movimento importante, alinhado ao objetivo do banco de ampliar e aprimorar a oferta de produtos e serviços e apoiar os clientes em todas as suas demandas.

“A Comerc Energia é um player com alto nível de expertise e líder em gestão de energia no mercado livre brasileiro. Entendemos que esse é um mercado em expansão e, por meio dessa parceria, estaremos aptos a oferecer aos clientes todos os benefícios do acesso ao ACL”, disse. “O Itaú aportará seu amplo canal de relacionamento com os clientes, seguindo a estratégia de oferecer as melhores soluções que vão além de produtos financeiros”.

Mercado em expansão

A demanda de entrada no ACL segue em ascensão, levando em conta o crescimento de 11 mil para 38 mil consumidores de janeiro a dezembro de 2023. Segundo a ANEEL, cerca de 13 mil empresas do Grupo A solicitaram migração já para esse mês de janeiro, e há um universo potencial com mais de 165 mil companhias aptas a aderir ao Ambiente de Contratação Livre.

Atualmente, o segmento já responde por 39% do consumo de energia elétrica no Brasil, podendo chegar a 46% ao longo de 2024 conforme as companhias do Grupo A sigam realizando suas adesões.


Todo o conteúdo do Canal Solar é resguardado pela lei de direitos autorais, e fica expressamente proibida a reprodução parcial ou total deste site em qualquer meio. Caso tenha interesse em colaborar ou reutilizar parte do nosso material, solicitamos que entre em contato através do e-mail: [email protected].

Mateus Badra

Mateus Badra

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020. Atualmente, é Analista de Comunicação Sênior do Canal Solar e possui experiência na cobertura de eventos internacionais.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.