6 de dezembro de 2023
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 11,1GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 24,7GW

Como funciona o laboratório de energia solar da Unicamp?

Espaço conta com investimentos públicos e privados para realização de pesquisas e programas de ensino

Autor: 9 de junho de 2023Brasil
5 minutos de leitura
Como funciona o laboratório de energia solar da Unicamp?

Unicamp mantém laboratório de energia solar dentro de seu campus, em Campinas (SP). Foto: Divulgação

As atividades do LESF (Laboratório de Energia e Sistemas Fotovoltaicos) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) envolvem ensino, pesquisa e extensão, com foco em componentes e sistemas para o setor de energia solar.

O espaço, fundado em 2015 e coordenado pelo Professor Marcelo Gradella Villalva, conta com investimentos públicos e privados, oriundos de agências de fomento como CAPES e CNPq, além de parcerias com empresas como BYD Energy e Total Energies. 

Os recursos captados pelo LESF proporcionam bolsas de estudos e oportunidades para estudantes de graduação, mestrado e doutorado, bem como possibilitam a fixação de doutores qualificados no Brasil, através do Programa de Pesquisador de Pós-Doutorado da Unicamp.

As atividades do laboratório são distribuídas em duas divisões principais, voltadas à certificação de equipamentos para o mercado. 

A primeira dedica-se às pesquisas relacionadas aos inversores, microinversores e otimizadores de potência, enquanto a segunda é voltada aos estudos de degradação e qualidade de células e módulos fotovoltaicos.

Desde 2019, o LESF é credenciado no INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) para a homologação de módulos e inversores fotovoltaicos, atendendo os requisitos da portaria 004/2011. 

Nesta mesma linha de atuação o espaço está atualmente se preparando para a obtenção da certificação ISO 17025, visando a acreditação laboratorial de acordo com regras internacionais de qualidade, o que possibilitará o atendimento dos requisitos da nova portaria 140/2022 do INMETRO.

Parceria com a BYD Energy

A divisão de módulos fotovoltaicos do LESF foi inteiramente financiada por um convênio estabelecido entre a Unicamp e a BYD Energy, que já investiu cerca de R$ 10 milhões na parceria através de um programa de P&D (pesquisa e desenvolvimento)  com recursos do PADIS (Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Semicondutores), do MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação) do Governo Federal.

Nesta parceria, são realizadas pesquisas sobre análise de desempenho e degradação de células e módulos fotovoltaicos, confiabilidade de módulos fotovoltaicos e desenvolvimento de novos materiais para aplicação em dispositivos semicondutores – este último tópico é realizado por meio de uma parceria com o Instituto de Física da Unicamp.

Grande parte dos recursos aportados pela BYD Energy destinou-se à aquisição de equipamentos para a criação de um laboratório de pesquisas e testes com módulos fotovoltaicos, o primeiro do Brasil desse gênero, que hoje possibilita a realização de experimentos que antes só podiam ser realizados em laboratórios internacionais.

Além de pesquisa, desenvolvimento e formação de profissionais, a divisão de módulos fotovoltaicos do LESF tem possibilitado o aumento do conhecimento sobre a qualidade e o desempenho dos módulos fotovoltaicos comercializados no Brasil.

O laboratório, adicionalmente aos testes para o INMETRO, vem trabalhando na criação de um programa de testes de qualidade para módulos fotovoltaicos, com o objetivo de fornecer mais informações para o público consumidor sobre a qualidade e o real desempenho dos produtos comercializados no país. 

Os resultados deste trabalho ainda são preliminares e não foram tornados públicos, mas o LESF já detectou a presença de módulos fotovoltaicos com desempenho inferior ao prometido pelos fabricantes em circulação no mercado brasileiro.

Os resultados do convênio de pesquisa com a BYD são divulgados em artigos acadêmicos, apresentados em congressos internacionais e revistas científicas, além de serem apresentados em testes e dissertações produzidas pelos pesquisadores do LESF.

O grupo publicou nos últimos cinco anos mais de 70 artigos científicos e, de acordo com o ranking divulgado pela plataforma Google Scholar, os pesquisadores do LESF estão entre os mais citados mundialmente na área de sistemas fotovoltaicos.

Pesquisadores e alunos durante um dos workshops trimestrais para a apresentação de resultados de pesquisas com a BYD Energy. Foto: Divulgação

Ensino e pesquisa no LESF

Nas áreas de ensino e pesquisa, o LESF participa do Programa de Pós-Graduação da Unicamp, acolhendo alunos de mestrado e doutorado, além de pesquisadores de pós-doutorado brasileiros e estrangeiros, e também atua no oferecimento de cursos de aperfeiçoamento e profissionalizantes junto à Extecamp (Escola de Extensão da Unicamp).

Desde 2015, o laboratório já recebeu mais de 15 mil alunos (em grande maioria profissionais e empreendedores do setor de energia solar fotovoltaica), oriundos de todas as regiões do Brasil.

Grande parte dos profissionais que atuam no mercado de energia solar já passou pelos treinamentos do LESF, que abrangem desde os princípios da energia solar até o projeto de usinas solares com o apoio de software, passando também por um treinamento prático de instalação de sistemas de energia solar fotovoltaica.

Treinamento prático de sistemas fotovoltaicos promovido pelo LESF. Foto: Divulgação

Henrique Hein

Henrique Hein

Atuou no Correio Popular e na Rádio Trianon. Possui experiência em produção de podcast, programas de rádio, entrevistas e elaboração de reportagens. Acompanha o setor solar desde 2020.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.