2 de março de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 12,2GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 26,9GW

Confira as 5 maiores usinas fotovoltaicas do Brasil

Levantamento com base em dados do ONS aponta as maiores plantas solares em potência nominal

Autor: 29 de novembro de 2021Brasil
4 minutos de leitura
Confira as 5 maiores usinas fotovoltaicas do Brasil

Conjunto Solar São Gonçalo é a maior usina em potência nominal do Brasil. Foto: Enel/divulgação

Segundo dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), o Brasil possui cerca de 670 UCs (unidades consumidoras) com geração própria de energia a partir da fonte solar.

Atualmente, Minas Gerais lidera o ranking estadual com cerca de 120 mil UCs. Em segundo lugar, está São Paulo, com aproximadamente 110 mil, e Rio Grande do Sul, que possui em torno de 95 mil sistemas fotovoltaicos.

Com relação à classe de consumo, quem aparece no topo da lista é o segmento residencial, com 515 mil unidades consumidoras, seguido do setor comercial, com 95 mil, e o meio rural, que conta com 50 mil sistemas.

Não há dúvidas, são milhares de usinas espalhadas pelo Brasil gerando economia e sustentabilidade. E quando o assunto é potência nominal, você sabe quais são as 5 maiores plantas do país?

O Canal Solar realizou um levantamento com base no último boletim mensal de geração fotovoltaica do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico). Confira:

1º lugar: Conjunto Solar São Gonçalo

Parque São Gonçalo

Localizada na região semiárida do Brasil, no estado do Piauí, o conjunto solar de São Gonçalo possui, atualmente, 575,725 MW. Segundo a Enel Green Power, o parque está em construção ainda e, quando finalizado, terá 864 MW.

Ao todo, serão mais de 2,2 milhões de painéis solares. A instalação ocupa uma área de cerca 12 milhões m², o equivalente a aproximadamente 1.500 estádios de futebol. Ademais, mais de 1,2 milhões de toneladas por ano de CO₂ serão evitadas com a construção do empreendimento.

2º lugar: Complexo Solar Pirapora 

Complexo Solar Pirapora (MG) 

Com investimento da ordem de R$ 2 bilhões, o Complexo Solar Pirapora, situado no Norte de Minas Gerais, foi instalado pela espanhola Solatio Energia em parceria com a Canadian Solar, que forneceu os cerca de 1,2 milhão de painéis.

Ao total, a planta possui 329 MW e ocupa uma área de 800 hectares, o que corresponde a um terreno no tamanho de 1.500 campos de futebol. O projeto fica no meio de uma planície 350 km ao norte de Belo Horizonte (MG), no centro de uma vegetação esparsa.

3º lugar: Conjunto Sol do Sertão

Conjunto Sol do Sertão

O complexo fotovoltaico Sol do Sertão, localizado na cidade de Oliveira dos Brejinhos (BA), possui 285,76 MW. Ao total, foram usados 1.075.200 painéis bifaciais da LONGi e 122 inversores Sungrow.

Durante a construção da usina, que conta com uma área de 700 hectares, foram criadas aproximadamente 1,5 mil oportunidades de emprego direto para os habitantes do município.

A planta da Essentia Energia, do grupo Pátria Investimentos, foi conectada à rede elétrica nacional e entrou em operação em 19 de julho de 2021.

4º lugar: Parque Solar Nova Olinda

Parque Solar Nova Olinda

O Parque Solar Nova Olinda, de 210 MW, é localizado no município de Ribeira do Piauí (PI) e conta com quase um milhão de painéis fotovoltaicos instalados em 690 hectares, área equivalente a 700 campos de futebol.

Empregando cerca de 2 mil pessoas para sua construção, Nova Olinda contou com o apoio do Governo do Estado, por meio de R$ 80 milhões em incentivos fiscais, num total de quase R$ 1 bilhão investido.

Toda a potência produzida no parque é transmitida da subestação própria para a subestação da Chesf em São João do Piauí, por onde é fornecida para o sistema nacional de distribuição elétrica.

5º lugar: Parque solar Ituverava

Parque solar Ituverava

O Parque Solar Ituverava fica localizado perto de Tabocas do Brejo Velho, a 800 km de Salvador (BA), e possui 196 MW de potência instalada. Ao total, foram investidos US$ 400 milhões para a construção da usina, que entrou em operação em setembro de 2017 e cobre uma área de 579 hectares, o equivalente a 700 campos de futebol.

As 850 mil placas solares utilizadas evitam a emissão de 318 mil toneladas de CO₂ a cada ano. Além disso, os sete subcampos de Ituverava estão entre os dez melhores em eficiência no mercado brasileiro de energias renováveis.

Leia mais: Brasil acrescenta 210 usinas solares por dia ao sistema de compensação

Mateus Badra

Mateus Badra

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020. Atualmente, é Analista de Comunicação Sênior do Canal Solar e possui experiência na cobertura de eventos internacionais.

8 comentários

  • Robson Moraes disse:

    Só estamos no início dessa grande mudança onde podemos ter autonomia na geração de energia e o monopólio gerado pelas concessionárias finalmente chega ao fim. Estamos vivenciando mudanças tecnológicas cada dia mais rápidas e penso que ao chegar no final da vida útil dos painéis solares, já teremos uma destinação viável para eles, além de termos evitado dezenas de trilhões de toneladas por ano de CO₂.

  • Celso disse:

    Painel solar é 97% reciclável, não gera problema ambiental. Além da evolução que certamente haverá nos próximos 25 anos. Deve chegar a 100% a reciclagem.

  • O Brasil, possui a maior extensão de terras para produção de energia solar, bem como de elevada insolação para tal. Em breve seremos o maior produtor de energia solar da terra, além de hidroelétricas e de aero geradores (temos no Nordeste os maiores parques de aerogeradores do País). Assim, o Brasil passa a ser o maior produtor de energia verde da história da humanidade. Sem consumo de combustíveis fósseis nem vegetais (carvão).

  • ROGERIO COQUEIRO disse:

    Infelizmente ainda não houve grandes avanços na energia solar com paineis cada vez maiores pra uma produção de energia questionável , nesta questão ainda acredito que a energia eólica seja menos impactante no longo prazo , se feito estudo de rota de migração de pássaros,do que a energia fotovoltaica.que ocupa grandes áreas e por cima não se leva em conta o descarte de tantos painéis no longo prazo.

  • ROGERIO COQUEIRO disse:

    Alguém já pensou lá no fim da vida útil, que é pouca (25anos) como e onde será o descarte de tanta placa??
    O que prevê a legislação?

  • JOSÈ RAT disse:

    Maravilha, estou começando na área de vendas de Energia Solar aqui em Santa Catarina no município de Itapoá, na empresa ENERGIA SC engenharia do Eng. Elétrico ADRIANO, muito bom.

  • Coremas(312 MW ) e Santa Luzia(assim como o de São Gonçao está em contrução e tera 1,625GW), na PB, também são grandes.

  • Jailton borges disse:

    Acho muito bom a energia limpa.
    Estão de parabéns.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.