Energia solar fotovoltaica irá abastecer 30 sedes da Claro

Operadora assinou contrato de PPA com a Neonergia para obter 911 GWh de potência

Cada vez mais operadoras de telefonias estão investindo em energia solar. A Vivo inaugurou uma planta de 4,77 MWp de potência em Campinas (SP), a Tim, por exemplo, irá construir 60 usinas até 2021, e agora a Claro anunciou que irá apostar em mais um projeto de eficiência energética.

A empresa fechou um contrato de PPA (compra de energia), pelos próximos 12 anos, para obter 911 GWh de potência em energia renovável no mercado livre com a Neonergia.

O consumo da energia gerada abastecerá 30 sedes da Claro, sendo 868 GWh destinados ao submercado Sudeste e Centro-Oeste e 43 GWh ao Sul.

O projeto, que conta com um investimento de R$ 457 milhões, é associado à geração do parque fotovoltaico Luzia II e III, de 149,3 MW, no sertão paraibano. A previsão é que as usinas fotovoltaicas entrem em operação no segundo semestre de 2022.

A iniciativa faz parte do programa de sustentabilidade da operadora, lançado em 2017, que prevê o uso de fontes renováveis em todas suas operações e instalações.

A Claro já possui usinas instaladas em vários estados, como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Piauí, Distrito Federal, entre outras.

Imagem de Mateus Badra
Mateus Badra
Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal