27 de maio de 2022
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 5.02GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 10,7W

Energisa anuncia aportes de R$ 1 bilhão para GD em 2022

No ano passado, a companhia atingiu 77,7 MWp em capacidade instalada de geração distribuída

Autor: 3 de fevereiro de 2022fevereiro 8th, 2022Brasil
Energisa anuncia aportes de R$ 1 bilhão para GD em 2022

Grupo Energisa investirá, ao todo, R$ 5,6 bilhões este ano. Foto: reprodução

O Grupo Energisa anunciou que em 2022 o investimento previsto em GD (geração distribuída) solar fotovoltaica, por meio da subsidiária para energia renovável Alsol, será de R$ 1 bilhão.

“Temos uma ambição clara de futuro. Queremos liderar a agenda de transição energética no país como uma plataforma completa de soluções em energia para oferecer os melhores produtos e serviços a pessoas e empresas”, ressaltou Maurício Botelho, CFO da Energisa.

“Para alcançarmos esse resultado, prosseguimos com a estratégia que alia diversificação dos negócios e investimentos robustos. A gestão eficiente no controle de custos, expansão adequada da base de ativos e dinamismo das áreas de concessão norteiam nossa sólida posição financeira que permitiu aumentar os investimentos nos últimos anos”, acrescentou.

O executivo reforçou ainda que em 2021 o Grupo Energisa, por meio da Alsol, atingiu a capacidade instalada de geração distribuída de 77,7 MWp. Até 2024, a companhia disse que pretende construir cerca de 460 MWp em ativos de GD, podendo multiplicar por cinco a atual base de 2 mil clientes neste segmento.

Leia também: Alsol compra empresas do Grupo Vision e acelera expansão em GD solar

Investimentos totais

A empresa divulgou ainda que, ao todo, investirá R$ 5,6 bilhões este ano. O montante é o maior aporte da história da Energisa para um ano. A quantia é 44% superior ao valor inicialmente estimado para 2021 (R$ 3,9 bilhões) e, por consequência, maior também do que o investido em 2020 (R$ 2,4 bilhões).

Segundo a companhia, o aumento dos recursos está alinhado com a estratégia de diversificação de negócios anunciada no fim do ano passado, que incluiu o avanço da Energisa em atividades não relacionadas aos negócios regulados de distribuição de energia elétrica.

Mais investimentos

Além dos aportes em GD solar, a Energisa direcionou R$ 3,8 bilhões para as suas 11 distribuidoras de energia. Já os empreendimentos de transmissão vão receber R$ 362 milhões este ano.

Entre as distribuidoras, têm destaque a Energisa Mato Grosso, unidade que receberá a maior fatia dos investimentos, com R$ 793 milhões. Completam as cinco unidades com mais aportes para o ano: Energisa Rondônia (R$ 742 milhões); Energisa Mato Grosso do Sul (R$ 621 milhões); Energisa Acre (R$ 419,7 milhões) e Energisa Tocantins (R$ 365 milhões).

“A alocação de investimento também foi diversificada trazendo um equilíbrio entre nosso core business, a distribuição e os demais negócios. Essa sinergia entre a distribuição e as novas áreas também nos permite ter uma visão conectada com a descarbonização por ofertas inovadoras de soluções para indústrias, uma rede elétrica robusta e maior capacidade instalada de fontes renováveis”, enfatizou Botelho.

Para a transmissão, que também está no foco da diversificação dos negócios da Energisa para 2022, o estado de Tocantins receberá a maior quantia, totalizando R$ 230 milhões, destinados aos projetos ETT-1 e ETT-22, sendo este último adquirido em leilão em junho do ano passado, que compreende um novo pátio em 138 kV da subestação Gurupi e com sinergia com o empreendimento ETT-1.

Mateus Badra

Mateus Badra

Atuou como produtor, repórter e apresentador na Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro há mais de dois anos, atuando nas editorias de Mercado e Tendências, Mobilidade Urbana, P&D e Equipamentos. Jornalista graduado pela PUC-Campinas.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.