Escola de Rondônia substitui geração a diesel por energia solar

Estado anunciou que irá instalar um sistema com 15 painéis fotovoltaicos para beneficiar a instituição
2 minuto(s) de leitura
Escola de Rondônia substitui geração a diesel por energia solar

Substituir um motor a diesel que, além de ser poluente, possui manutenção cara devido ao alto preço do combustível, por um sistema de energia solar, contribuindo para uma geração de energia renovável e econômica. 

Este é o objetivo do governo de Rondônia que anunciou, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental, que implantará um sistema fotovoltaico na Escola Municipal João da Mata, localizada na Reserva Extrativista do Rio Pacaás Novos.

A iniciativa faz parte do projeto “Luz para a Educação” e deve beneficiar a comunidade com a instalação de 15 painéis solares. De acordo com a Secretaria, a escola será a primeira instituição educacional do estado de Rondônia a contar com 100% de energia solar. 

João Raphael Gomes, coordenador do programa, relatou que no final do ano passado conseguiram captar US$ 25 mil do Future Fund – recurso utilizado para a viabilização da construção da usina. 

“A expectativa é que até dezembro mais projetos possam ser desenvolvidos e novos recursos possam ser captados, visando tornar o nosso estado cada vez mais referência no desenvolvimento de energias renováveis no Brasil”, destacou. 

Governo do estado de Rondônia assina contrato para a implantação do projeto solar fotovoltaico

Sobre o programa

O projeto “Luz para Educação” é financiado pelos governos da Coalizão Under2, composta pelo Quebec, Escócia, País de Gales e Baden-Wuerttemberg, por meio do Future Fund, que foi criado para aumentar a participação das regiões emergentes e em desenvolvimento.

A coalizão reúne mais de 220 governos que representam mais de 1,3 bilhão de pessoas e 43% da economia global. “Ficamos particularmente impressionados com as múltiplas vantagens apresentadas pelo programa desenvolvido pela Sedam, como energia limpa, benefícios educacionais e contribuição para gestão de áreas protegidas”, apontou Martine Crowe, coordenadora de engajamento da Under2 Global.

“Outro ponto relevante é a aproximação entre nossas instituições e um importante governo na região Amazônica, estratégica na agenda climática, na qual The Climate Group e a Coalizão Under2 atuam com protagonismo”, disse Martine.

Imagem de Mateus Badra
Mateus Badra
Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal