21 de abril de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 13,4GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 28,5GW

Especialista traça panorama do mercado fotovoltaico internacional

Durante participação no podcast Papo Solar, Gustavo Tegon analisou o atual cenário do setor solar

Autor: 8 de junho de 2021Mundo
3 minutos de leitura
Especialista traça panorama do mercado fotovoltaico internacional

Durante participação no podcast Papo Solar, Gustavo Tegon, especialista em vendas e co-fundador da Esfera Solar, discorreu sobre o atual cenário do setor fotovoltaico internacional e comentou ainda sobre suas expectativas quanto ao Brasil.

Entre os destaques apontados pelo executivo, estão a recente movimentação nos Estados Unidos após a posse de Joe Biden como presidente, a retomada nas vendas de equipamentos na Europa e a crescente demanda no mercado indiano.

“Existem várias coisas acontecendo no exterior. Por exemplo, tivemos a troca de presidente nos Estados Unidos. Com isso, todas as leis e imposições que foram colocadas pelo Trump, estão sendo removidas pelo Biden – que gosta de energia limpa e renovável”, disse.

“Então, a redução de compra imposta pelo Trump não vai acontecer. O país norte-americano volta a ser um mercado atuante nas compras globais de módulos”, relatou Tegon.

Com relação à Europa, o executivo destacou ser um segmento já consolidado, mas que novas tecnologias estão reaquecendo a demanda na região. “O que acontece por lá? O europeu que já tem instalado em seu comércio, empresa, indústria ou casa aquele painel antigo – de 250 W – não quer mais tal produto. Resolveu que comprará novos equipamentos, pois o sistema já se pagou”.

“Países como Itália, França, Portugal e Alemanha, por exemplo – lugares que não imaginávamos que as compras seriam em maior escala – começaram a mudar o jogo, pois estão comprando bastante. A expectativa de venda para esse setor primário da Europa era um, e hoje é praticamente três vezes mais”, apontou. 

O especialista também destacou que o mercado do leste europeu, como na Polônia, República Tcheca, Eslováquia e Romênia – que antes eram acanhados com relação à geração distribuída e centralizada – começaram também a investir nesses segmentos. “A Europa, que era carta fora da mesa, volta a ser a carta no centro da mesa, assim como os Estados Unidos”. 

Somado a todos estes movimentos que, segundo Tegon, estão impactando a demanda e, consequentemente, toda a cadeia produtiva da indústria fotovoltaica, está a medida anunciada pelo governo indiano que visa amadurecer o mercado interno.

“Temos o governo indiano trabalhando numa força tarefa de subsídios para que a indústria de módulos migre para a Índia, mas não a chinesa, e sim a própria indústria nacional. O custo do produto indiano, comparado com o chinês, é mais ou menos 7% mais caro. O que o governo está fazendo? Está impondo tarifas absurdas sobre esse produto para que o mercado indiano pare de consumir na China e consuma internamente”, ressaltou o co-fundador da Esfera Solar.

Mercado brasileiro x internacional

Questionado sobre o futuro do mercado fotovoltaico brasileiro, Tegon destacou que o Brasil precisa passar por uma grande reforma para conseguir competir com o setor internacional. “A mentalidade do governo brasileiro precisa ser mudada. Não adianta discutir isso com a situação atual”.

“Da maneira como está, da não competitividade que o produto nacional tem, simplesmente perdemos oportunidades. Me dói falar isso, mas não acredito que tenhamos chance de competir com a China, conforme a índia tem desbravado”, acrescentou. 

No entanto, para Tegon, o Brasil tem tudo para que nos próximos anos volte a ser um país industrial como sempre foi, devido ao seu enorme potencial de crescimento. “Nossas indústrias estão indo embora pela falta de planejamento, por serem escassas”. 

Saiba mais: Energia solar ultrapassa 9 GW no Brasil

Mateus Badra

Mateus Badra

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020. Atualmente, é Analista de Comunicação Sênior do Canal Solar e possui experiência na cobertura de eventos internacionais.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.