21 de abril de 2024
solar
No Brasil Hoje

Potencia GC SolarGC 13,4GW

No Brasil Hoje

Potencia GD SolarGD 28,5GW

Financiamento para energia solar somou mais de R$ 35 bi em 2022

Este foi o quarto ano seguido que o volume de créditos concedidos para fonte bateu recorde no Brasil

Autor: 31 de março de 2023Brasil
2 minutos de leitura
Financiamento para energia solar somou mais de R$ 35 bi em 2022

Foto: Pexels

O volume de financiamentos para sistemas de energia solar, tanto em usinas de grande porte quanto para micro e minigeração distribuída, superou a marca de R$ 35,1 bilhões em 2022 – um aumento de 78% em relação aos R$ 19,7 bilhões de 2021. 

Os dados são de um levantamento publicado pela Cela (Clean Energy Latin America), que para chegar nos números utilizou informações de instituições financeiras públicas e privadas, fintechs e cooperativas de crédito. 

De acordo com o estudo, o valor dos financiamentos para as usinas de GC (geração centralizada) mais do que dobrou na comparação com os dois períodos analisados, saltando de R$ 6,7 bilhões em 2021 para R$ 13,7 bilhões em 2022. 

Já o aporte para sistemas de GD (geração distribuída) cresceu mais de 60% em 2022, com a injeção de R$ 21,4 bilhões ante os R$ 13 bilhões do ano anterior. 

Este é quarto ano consecutivo que o volume arrecadado com o financiamento de sistemas de energia solar bate recorde no Brasil, mesmo em um momento no qual a taxa básica de juros encontra-se em 13,75% ao ano, a maior desde janeiro de 2017. 

De acordo com a Cela, além do crescimento natural da energia solar no Brasil – com cada vez mais pessoas se interessando pelos benefícios da fonte – outros motivos ajudam a explicar o aumento no volume de créditos concedidos. 

Para sistemas de GD, a sanção da Lei 14.300 foi responsável por criar uma corrida pela tecnologia ao longo de todo o ano passado – uma vez que os consumidores que encaminhassem o pedido para suas conexões até 6 de janeiro de 2023 ficariam isentos do pagamento da tarifa de uso da rede da distribuidora até 2045. 

Já no caso dos empreendimentos centralizados, o aumento foi puxado pelos contratos assinados no Mercado Livre de Energia e pela  Lei 14.120, que previu regras de transição para o fim do desconto na TUSD e na TUST (Tarifas de Uso dos Sistemas de Distribuição e de Transmissão) para as grandes usinas.

 

Henrique Hein

Henrique Hein

Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como repórter do Jornal Correio Popular e da Rádio Trianon. Acompanha o setor elétrico brasileiro pelo Canal Solar desde fevereiro de 2021, possuindo experiência na mediação de lives e na produção de reportagens e conteúdos audiovisuais.

Comentar

*Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Canal Solar.
É proibida a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes e direitos de terceiros.
O Canal Solar reserva-se o direito de vetar comentários preconceituosos, ofensivos, inadequados ou incompatíveis com os assuntos abordados nesta matéria.