Instalações da Vivo serão abastecidas com energia solar a partir de 2022 

Sistemas serão instalados nos estados de Rondônia, Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo e Ceará
Usinas fornecerão energia para mais de 5 mil pontos de consumo da Vivo
Usinas fornecerão energia para mais de 5 mil pontos de consumo da operadora. Foto: Helexia Brasil

A Helexia Brasil, uma empresa que atua no segmento de transição energética, iniciou a construção de 17 usinas solares descentralizadas para abastecer as instalações da Vivo, uma empresa brasileira de telefonia móvel. 

Os sistemas fotovoltaicos serão instalados nos estados de Rondônia, Mato Grosso do Sul, Paraná, São Paulo e Ceará, com operação comercial prevista para o primeiro semestre de 2022.

Pelo acordo firmado, as unidades fornecerão energia para mais de 5 mil pontos de consumo da operadora, num contrato de 20 anos.

A capacidade instalada total de 60 MW permitirá que as plantas gerem energia solar equivalente para abastecer uma cidade com cerca de 24 mil famílias.

Além disso, toda a eletricidade produzida será injetada no SIN (Sistema Nacional Integrado) e se transformará em crédito para a Telefônica, controladora da Vivo. 

Leia também: Mercado de energia solar em 2022: o que esperar?

“Estamos totalmente comprometidos em fazer deste contrato um sucesso que servirá de referência para os nossos futuros projetos no Brasil, utilizando toda nossa experiência em desenvolvimento de projetos de geração de energia”, disse Hans Vander Velpen, diretor de operações e desenvolvimento de negócios da Helexia Brasil.

Segundo o executivo, os novos projetos incluem uma melhor prospecção de terras, com análises que levam em consideração critérios como a superfície disponível, a viabilidade e o custo da conexão à rede, o impacto ambiental e os regulamentos locais. “Tudo para contribuir com os objetivos da Vivo em sustentabilidade e combater as mudanças climáticas”, ressaltou.

Imagem de Henrique Hein
Henrique Hein
Atuou no Correio Popular e na Rádio Trianon. Possui experiência em produção de podcast, programas de rádio, entrevistas e elaboração de reportagens. Acompanha o setor solar desde 2020.

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal