JA Solar anuncia que irá dobrar capacidade produtiva em 2023

Empresa pretende atingir 23 GW, uma alta de 110% frente aos 11 GW registrados em 2020

A fabricante JA Solar informou que irá dobrar sua capacidade produtiva de wafers/lingotes, células e módulos fotovoltaicos em 2023.

De acordo com a empresa, a expectativa é atingir 23 GW em três anos, uma alta de 110% frente aos 11 GW registrados em 2020. Já para o ano que vem, o objetivo é alcançar 16 GW de potência instalada, o que representaria um crescimento de 45%.

“Hoje, somos a 4ª empresa do ranking mundial de módulos solares da BNEF (BloombergNEF). Os 11 GW de capacidade produtiva são distribuídos em 13 fábricas, que produzem, respectivamente, painéis de 535 W e 480 W (células 182 mm), módulos 450 W (células 166 mm) e módulos 400 W (células 158 mm)”, disse Fernando Castro, Country Manager da JA Solar no Brasil.

“Ao total, realizamos vendas de 10,3 GW em 2019, e agora estamos guardando resultados positivos no ano de 2020”, acrescentou Castro.

De acordo com o executivo, o crescente aumento da demanda mundial fez a empresa lançar planos de expansão bem agressivos, prevendo o crescimento de mais de 100% até o final de 2023.

“Para 2021, teremos finalizado e colocado em operação a construção de novas fábricas, que trarão 6 GW de capacidade produtiva adicional, focados nos produtos de células 182 mm. Ou seja, módulos de 480 W e 535 W e outros que certamente virão”, ressaltou.

Até o final de 2023, ele destacou ainda que mais fábricas serão construídas e irão retrabalhar unidades que atualmente produzem células e módulos de 158 mm, adicionando outros 6 GW, também focados nos produtos de células 182 mm.

Cases da JA no Brasil

A UFES (Universidade Federal do Espírito Santo) inaugurou em março deste ano o maior parque de mineração distribuída de energia solar do estado, com potência de 5,4 MWp. O projeto, que contou com um investimento de R$ 18 milhões, foi elaborado pela Moove Energia Solar em parceria com a JA.

Ademais, a empresa forneceu, em 2018, módulos de vidro duplo PERC mono bifaciais para a fábrica de energia fotovoltaica de 3 MW da SolarGrid, localizada na cidade de São Francisco de Sá (MG). Na época, foi o primeiro projeto de vidro duplo bifacial do país.

Outro case de sucesso apontado foi a planta de Ituverava (BA) de 257 MWp, que entrou em operação em 2016 e utilizou painéis da JA. De acordo com fabricante, foi a primeira usina solar para leilão do Brasil.

Imagem de Mateus Badra
Mateus Badra
Jornalista graduado pela PUC-Campinas. Atuou como produtor, repórter e apresentador na TV Bandeirantes e no Metro Jornal. Acompanha o setor elétrico brasileiro desde 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal