ONS prevê carga nacional de energia crescendo 3,8% em março

Afluências seguem abaixo da média histórica e reservatórios das hidrelétricas se esvaziam
Energia-Solar-Canal-ONS-preve-carga-nacional-de-energia-crescendo-38-em-marco.jpg
Carga nacional de energia deve atingir 82.838 MWmed. Foto: Pixabay

A demanda por energia elétrica continua acelerada no Brasil. Segundo o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), a carga nacional de energia deve atingir 82.838 MWmed (megawatts-médios), o que representa um aumento de 3,8% se comparado com o verificado no ano passado.

As previsões de crescimento para os submercados são: Norte, 8,1% (7.456 MWmed); Nordeste, 7,1% (13.289 MWmed); e o Sudeste/Centro-Oeste, 3,6% (47.126 MWmed). A região sul pode apresentar redução da demanda em 0,2% (14.567 MWmed).

As estimativas de afluências seguem abaixo da média histórica para o mês de março. O subsistema Sudeste/Centro-Oeste, que concentra 70% das hidrelétricas com capacidade de armazenamento, deve encerrar o mês com ENA (Energia Natural Afluente) de 69%, ou seja, quase 31% abaixo do esperado.

Como podemos ver no gráfico abaixo, a Energia Armazenada (EAR) no SE/CO vem caindo desde junho de 2023.

Histórico-Energia-Armazenada
Histórico da Energia Armazenada: período de abril de 2023 a fevereiro de 2024.

De acordo com o ONS, os modelos indicam que no SE/CO o nível de energia armazenada pode chegar a 60% no final de março.

O esvaziamento dos reservatórios está preocupando o ONS. Já há alguns meses o órgão vem sinalizando para a necessidade de acionamento das termelétricas para complementar o atendimento da carga, justamente para poupar água nos reservatórios para enfrentar o período seco que começa em abril.

“As projeções para ENA (Energia Natural Afluente) seguem inferiores à média histórica do período tipicamente úmido em curso, o que vem sendo alertado pelo ONS como ponto de atenção.

O subsistema Sudeste/Centro-Oeste, que concentra 70% dos reservatórios de maior interesse do SIN (Sistema Interligado Nacional), deve encerrar março com ENA de 69% da Média de Longo Termo (MLT), o que seria a sétima pior ENA para o mês da série histórica de 94 anos”, alertou o ONS em nota à imprensa.

Para as demais regiões, as indicações para a ENA são de: 110% da MLT na região Norte; 76% da MLT, no Sul; e 64% da MLT para o Nordeste.

Nos demais submercados, o nível de EAR deve chegar ao final de março assim: Norte, 95,8%; Nordeste, 73,3%; e Sul, 48%.

Pela primeira vez em 14 meses, o CMO (Custo Marginal da Operação) está diferente de zero (R$ 0,06) nos quatro subsistemas.


Todo o conteúdo do Canal Solar é resguardado pela lei de direitos autorais, e fica expressamente proibida a reprodução parcial ou total deste site em qualquer meio. Caso tenha interesse em colaborar ou reutilizar parte do nosso material, solicitamos que entre em contato através do e-mail: [email protected].

Imagem de Wagner Freire
Wagner Freire
Wagner Freire é jornalista graduado pela FMU. Atuou como repórter no Jornal da Energia, Canal Energia e Agência Estado. Cobre o setor elétrico desde 2011. Possui experiência na cobertura de eventos, como leilões de energia, convenções, palestras, feiras, congressos e seminários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal