Potencial da energia solar ainda está longe de ser atingido, diz GSC

Conselho global de energia solar anuncia nova marca e visão estratégica para impulsionar ainda mais a indústria fotovoltaica
Potencial da energia solar ainda está longe de ser atingido, diz CEO do GSC
Investimentos globais em energia solar devem ultrapassar US$ 500 bilhões em 2024. Foto: Jinko Solar/Divulgação

A energia solar ultrapassou, recentemente, a marca de 1 TW de capacidade instalada no mundo, com benefícios que já incluem a redução de mais de 300 milhões de toneladas de C02, segundo dados divulgados pelo GSC (Conselho Global de Energia Solar). 

Apesar dos números, a entidade destaca que o potencial total da fonte fotovoltaica não se encontra ainda nem perto daquela que ainda pode vir a ser utilizada no planeta. 

“Precisamos unir a indústria global para enfrentar nossos desafios comuns, maximizar a implantação e entregar a revolução solar com velocidade, com escala e com os mais altos padrões de qualidade”, disse Sonia Dunlop, CEO do GSC. 

No entendimento da executiva, todas as “pessoas no mundo merecem ter acesso à eletricidade solar, seja no telhado de suas residências ou por meio de seu fornecedor e nenhum país deve ficar para trás”, destacou. 

Na semana passada, um outro estudo – divulgado pela IEA (Agência Internacional de Energia, na sigla em inglês) – apontou que os investimentos globais em energia solar devem ultrapassar os US$ 500 bilhões em 2024. 

A expectativa da entidade, inclusive, é que a energia solar atraia mais investimentos neste ano do que todas as demais fontes energéticas, superando, com folga os investimentos em combustíveis fósseis, como carvão, petróleo e gás, e do que em energias limpas, como eólica, nuclear e hídrica.

Nova marca e plano estratégico 

Tendo em vista o crescimento global da fonte solar no mundo, a GCS anunciou, nesta segunda-feira (10), o lançamento de sua nova marca e visão estratégica, com o intuito de acelerar a implantação da energia fotovoltaica no planeta. 

“Estamos intensificando nossos esforços para acelerar a energia solar ao redor do mundo. Estamos convencidos de que a energia solar será o coração pulsante do nosso futuro limpo e sustentável”, disse Máté Heisz, presidente do Conselho do GSC. 

Como parte dessa visão estratégica renovada, o GSC anunciou uma série de ações em grupos de trabalho focados em áreas-chaves e consideradas essenciais para o crescimento futuro da indústria solar. 

Esses fluxos de trabalho são uma colaboração entre membros do GSC e outras empresas e especialistas. Os novos fluxos nos grupos de trabalho incluem:

  • Integração e armazenamento na rede: liderado pela SMA Solar, este fluxo de trabalho visa compartilhar boas práticas para aumentar a capacidade e flexibilidade da rede, no sentido de acomodar a geração crescente de energia solar, explorar como a tecnologia pode fornecer serviços à rede e enfrentar desafios técnicos e regulatórios. 
  • Finanças: Liderado pela Jinko Solar, este fluxo de trabalho desenvolverá soluções e estruturas financeiras para tornar os investimentos em energia solar mais acessíveis e atraentes, especialmente em mercados emergentes, envolvendo tanto investidores do setor privado quanto bancos de desenvolvimento. 
  • Cadeia de suprimentos: liderado conjuntamente por representantes da indústria de todas as regiões do mundo, este fluxo de trabalho se concentra em fortalecer a cadeia de suprimentos solar, para garantir transparência, resiliência, competição e sustentabilidade.
  • Habilidades: liderado em colaboração com a GWO, este fluxo de trabalho é dedicado à construção de uma força de trabalho qualificada capaz de apoiar a expansão da indústria solar. 

Todo o conteúdo do Canal Solar é resguardado pela lei de direitos autorais, e fica expressamente proibida a reprodução parcial ou total deste site em qualquer meio. Caso tenha interesse em colaborar ou reutilizar parte do nosso material, solicitamos que entre em contato através do e-mail: [email protected].

Imagem de Henrique Hein
Henrique Hein
Atuou no Correio Popular e na Rádio Trianon. Possui experiência em produção de podcast, programas de rádio, entrevistas e elaboração de reportagens. Acompanha o setor solar desde 2020.

4 respostas

  1. Vejo com otimismo, o avanço tecnológico das energias renováveis, leio e assisto tudo á respeito e acredito que estamos caminhando á passos largos para uma revolução sócio econômica, o Brasil tem uma grande oportunidade de desenvolver seu potencial produtivo em todos os aspectos, principalmente modernizando sua indústria, descarbonizando todo setor produtivo e gerando riqueza para nosso país! Onde se espera um PIB melhor distribuído.

  2. Imagina se você ver a taxa de iluminação publica da cidade de Pinheiro -Ma , uma conta de 65,00 reais, 200 kWh mês, tem uma cobrança de iluminação publica de 34,00 reais, e cruel.

  3. Uma notícia importante sobre o crescimento da energia solar em todo o mundo: a energia solar ultrapassou a marca de 1 TW de capacidade instalada. Uau.

    Outros pontos relevantes são benefícios que incluem a redução de mais de 300 milhões de toneladas de C02. Passo significativo em direção a uma economia mais limpa e sustentável.

    Percebo essas iniciativas como fundamentais para garantir que a indústria solar continue a crescer e se torne mais acessível para todos. Mais escala e disponibilidade, novas e velhas formas de uso.

  4. A energia solar só não tem potencial pra crescer no Brasil, devido o alto investimento nos equipamentos fotovoltaico e também as altas taxas tributárias que o Estado cobra de quem é usuário de energia solar. O Brasil representa um retrocesso nessa modalidade de energia limpa. Ao invés de estimular, o país mais que desestimular do que estimula

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba as últimas notícias

Assine nosso boletim informativo semanal